22 de novembro de 2021

Inconformada com a derrota para a Prefeitura, Mabel mobiliza mães para ato político-eleitoreiro

Arquivo

A mudança do Pronto Atendimento Infantil do Hospital Materno Infantil para a UPA da Santa Paula está sendo usada pela família Canto com viés político para atacar o governo municipal, e eleitoralmente em busca da reeleição da deputada Mabel Canto e do seu pai, Jocelito, que deverá se candidatar a deputado federal no ano que vem. A decisão da transferência dos atendimentos se baseou na proposta de transformar o hospital em uma referência para o atendimento infantil especializado de 28 municípios da região.

A deputada estadual Mabel Canto (PSC), o seu pai, o comunicador, ex-prefeito e ex-deputado Jocelito Canto, pré-candidato a deputado federal, e a sua irmã, a vereadora de Oposição Jocemeuri Canto (PSC), não se conformam com a derrota nas urnas na eleição municipal do ano passado.

A mudança do Pronto Atendimento Infantil (PAI) do Hospital Materno Infantil (HUMAI) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Santa Paula está sendo usada pela família Canto com viés político para atacar o governo municipal, e eleitoralmente em busca da reeleição da deputada Mabel Canto e do seu pai, Jocelito, que deverá se candidatar a deputado federal no ano que vem.

A decisão da transferência dos atendimentos do PAI pela Universidade, que assumiu a gestão da unidade, se baseou na proposta de transformá-lo em uma referência para o atendimento infantil especializado de 28 municípios da região. A mudança permite a ampliação de serviços e o aumento da complexidade do atendimento das crianças, com a abertura de diversas especialidades que até então não podiam ser atendidas nos Municípios.

Como hospital materno-infantil regional, o HUMAI não pode realizar um atendimento prioritário à Ponta Grossa, o que comprometeria a ocupação da unidade por pacientes somente da cidade, não podendo atender a demanda dos municípios da região por especialidades pediátricas, inclusive perdendo a remuneração do Estado.

Como compete ao município os atendimentos de atenção primária e, com a transferência do Humai para o Estado, o serviço precisou ser alocado nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na UPA do Santa Paula, que já atuava como Pronto Atendimento Infantil.

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Manjabosco, explica que a demanda foi absorvida com sucesso pelas UBS, com treinamento das equipes de atenção primária, o atendimento pediátrico na UPA Santa Paula foi ampliado, inclusive com a contratação de mais médicos pediátricos, e está em teste a ampliação do horário de atendimento de algumas Unidades, como a Sady Silveira, em Olarias, das 18h às 22h.

Ao passar pela triagem dos profissionais de enfermagem, os pacientes são classificados conforme o risco à saúde e os casos mais graves possuem a preferência dos atendimentos. Segundo secretário, cerca de 200 crianças são atendidas diariamente, a metade classificada com a pulseira azul, onde os pacientes são encaminhados para a consulta médica, mas não apresentam quadro mais grave ou risco de morte. “O azul são crianças com resfriados, febre baixa, dor de barriga, por exemplo. Os casos graves tem prioridade como sempre foram”, explica Manjabisco. Nos casos graves, a referência continua sendo o HUMAI.

Manjabosco nega que houve colapso nos atendimentos e explica que nessa época do ano é normal o aumento na demanda por atendimentos, o que acontece, segundo ele, inclusive na rede privada.

O secretário informa ainda que estará à disposição da população presente no ato que está sendo convocado e organizado nas redes sociais por apoiadores da campanha de Mabel.

HISTÓRICO – Os serviços obstétricos do Hospital Universitário começaram a funcionar no Hospital da Criança em 20 de agosto de 2020, com quadro de servidores do Município e do Estado. As negociações para a transferência já ocorriam desde março do ano passado, com o então prefeito de Ponta Grossa Marcelo Rangel, que deu início aos trâmites do convênio.

Em abril do mesmo ano, a UEPG recebeu R$ 13,8 mi para a transferência da maternidade, UTI pediátrica e UTI neonatal do HU para o Hospital da Criança. O provimento veio do Governo do Estado, em nome do Secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto, que incentivou as negociações e a abertura de leitos do HU.

A transferência de responsabilidades do Hospital da Criança para a UEPG é fruto do Projeto de Lei (PL) 046/2021, de autoria da Prefeitura Municipal, homologado em março deste ano. A doação permitiu que a UEPG assuma os serviços hospitalares; amplie atendimentos ambulatoriais; garanta a qualidade e humanização na assistência do pré ao pós-parto; implante o Programa de Residência Multiprofissional; e torne o Hospital uma referência no atendimento materno-infantil na região.


DIREITO DE RESPOSTA DEPUTADA MABEL CANTO

Diferentemente do que foi publicado por este Blog de Notícias na última segunda-feira (22), a deputada Mabel Canto (PSC) não mobilizou ou tem mobilizado qualquer pessoa para a manifestação (Lute como uma mãe!) de mães contra a precariedade do atendimento infantil em Ponta Grossa, agendada para esta terça-feira (23), às 14h30, em frente ao Paço Municipal.
O movimento, organizado por Luiza Fernanda de Oliveira, surgiu naturalmente nas redes sociais e é fruto da indignação de diversas mães que usam o sistema de saúde e reclamam o retorno do Pronto Atendimento Infantil (PAI) ao Hospital Universitário Materno-Infantil (HUMAI) e a melhoria nos atendimentos realizados pela UPA Santa Paula e UPA Santana.
A deputada Mabel Canto, na condição de mulher, mãe e representante da população de Ponta Grossa, apoia o movimento “Lute como uma mãe!” e tem trabalhado diariamente junto aos órgãos estaduais e municipais, para que o Município de Ponta Grossa reveja sua equivocada decisão, de retirar o Pronto Atendimento Infantil do HUMAI, levando-o à UPA Santa Paula, o que tem gerado inúmeras reclamações da população ponta-grossense, decorrentes da demora e da qualidade no atendimento fornecido às crianças.
Referidas reclamações e relatos podem ser encontrados facilmente nas redes sociais, como o da mãe cuja filha com vômitos, febre e diarreia foi “liberada” três vezes na UPA Santa Paula sob o argumento de que estava com a garganta inflamada, mas após procurar o atendimento particular, no Município de Palmeira, descobriu-se estar com uma infecção intestinal bastante grave, tendo sido posteriormente realizada uma cirurgia de retirada de um tumor.
A deputada Mabel Canto lamenta que mais uma vez este blog publicou notícia sem tê-la procurado para ouvir sua versão sobre os fatos.

Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

3 de dezembro de 2021

Butina se reúne com equipe da Sudis por novas moradias

Divulgação

3 de dezembro de 2021

Parceria da Prefeitura com o Judiciário vai regularizar mais de 5 mil lotes em PG

Divulgação

3 de dezembro de 2021

Prefeitura entrega salas de aleitamento em 5 unidades de saúde

Arquivo

3 de dezembro de 2021

Prefeitura de PG aplica 2ª dose de Pfizer e dose de reforço para público 18+

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista