15 de julho de 2019

Vereadores cobram de Felipe Passos providências sobre ameaça de morte feita por colega de Parlamento

Arquivo

Para quem diz “combater os privilégios”, a prática do “toma lá, dá cá” pode ser interpretada como um falso moralismo.

Diversos vereadores cobraram do vereador Felipe Passos (PSDB) hoje, 15, durante a sessão da Câmara Municipal, explicações e providências junto às autoridades policiais, sobre a revelação feita por ele em entrevista ao BLOG DO JOHNNY na última quarta-feira, 10, que um colega de Parlamento teria encomendado a sua morte. “Fiquei sabendo que havia um vereador querendo que acontecesse alguma coisa fisicamente comigo. Ele estava pressionando pessoas para que acontecesse um acidente comigo, atentando contra a minha vida”, revelou Passos.

O vereador esclareceu hoje que conforme orientação prestada pela Polícia, ele possui seis meses para registrar a ocorrência. “Estou levando as provas necessárias porque o fato ocorreu ano passado, mas que eu fiquei sabendo somente na semana passada. De forma particular e muito séria pode acabar com a história e trabalho deste parlamentar”, reiterou Passos a ameaça, revelando ainda que nos últimos dias vem sendo alvo de abordagens agressivas por parte de servidores da Câmara Municipal devido a sua atuação pela moralização da Casa, informando que registrou boletim de ocorrência na Polícia e irá cobrar providências do presidente Daniel Milla (PV).

O vereador Sargento Guiarone (PROS) se colocou à disposição de Passos para auxiliá-lo a tomar as medidas cabíveis junto às autoridades competentes, bem como, encaminhar denúncia à Corregedoria Geral da Câmara Municipal. “Com a minha experiência, 22 anos de Polícia Militar, uma pessoa que sofre ameaça de morte não vai ficar aguardando seis meses para fazer uma representação. Se isto ocorreu, tem que ser tomadas providências imediatas. Várias pessoas acabam me indagando nas ruas, até às vezes me colocando na parede e pensando que sou eu, quem efetuou essas ameaças”, cobrou.

Já o vereador Celso Cieslak (PRTB) informou que caso Passos não registre a ocorrência, irá representá-lo para que aponte o nome do parlamentar que o ameaçou. “O Felipe Passos colocou a Câmara numa situação muito difícil. Não acredito que um policial teria dito pra ele que não poderia fazer um boletim de ameaça de morte. Se realmente ele foi ameaçado, amanhã ele pode aparecer morto e todos os 22 vereadores vão estar sob suspeita. Imediatamente ele tem que fazer esse boletim de ocorrência”, defendeu Cieslak. “Estou acreditando que seja só uma promoção pessoal. Não sei se quer ser candidato a prefeito ou a vice-prefeito, é o que está parecendo”, concluiu.


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

20 de setembro de 2019

Banco de Projetos do Paraná avalia primeiras propostas

Divulgação

19 de setembro de 2019

Moacyr assina ordem de serviço para nova rodoviária

Divulgação

19 de setembro de 2019

Mostra ‘Eliseu Lacerda’ conta história através do cinema

Arquivo

19 de setembro de 2019

Temporais danificam 3.222 casas e afetam 12.227 pessoas

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra