29 de agosto de 2019

Social promove Semana Pedagógica para profissionais da rede de assistência

Divulgação

Durante a capacitação serão abordados os fundamentos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, a execução dos serviços, público prioritário, organização dos grupos, metodologia para o planejamento das atividades e trabalho Inter setorial, entre outros.

A Secretaria Municipal da Família e Desenvolvimento Social está promovendo a Semana Pedagógica para profissionais que trabalham nos equipamentos públicos e em organizações não governamentais com o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). O evento iniciou ontem, 28, e segue até amanhã, 30, no Centro de Referência e Assistência Social Luís King.

Durante a capacitação serão abordados os fundamentos do SCFV, a execução dos serviços, público prioritário, organização dos grupos, metodologia para o planejamento das atividades e trabalho Inter setorial, entre outros.

A secretária municipal da Família e Desenvolvimento Social, Ana Carolina Barros, destacou que a capacitação é importante para a padronização dos procedimentos, oferta de serviços com qualidade e atendimento ao público prioritário. “Quanto mais afinados estivermos, melhor vamos trabalhar para maximizar o atendimento às pessoas que precisam”, disse.

SERVIÇO – O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos é um serviço da Proteção Social Básica ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI).

Possui um caráter preventivo e proativo, pautado na defesa e afirmação dos direitos e no desenvolvimento de capacidades e potencialidades dos usuários, com vistas a alcançar alternativas emancipatórias para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais e o estímulo à autonomia dos usuários.

Os usuários são divididos em grupos a partir de faixas etárias, considerando as especificidades e os ciclos de vida. O trabalho nos grupos é planejado de forma coletiva, contando com a participação ativa do técnico de referência, dos orientadores sociais e dos usuários. É organizado em percursos, de forma a estimular as trocas culturais e o compartilhamento de vivências, desenvolver junto aos usuários o sentimento de pertença e de identidade, e fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

29 de maio de 2020

Prefeitura reduz despesa com pessoal, mas continua acima do Limite Prudencial

Arquivo

29 de maio de 2020

Paraná soma 4.236 diagnósticos de coronavírus e 173 mortes

Arquivo

29 de maio de 2020

Lei moderniza gestão de cargos nas universidades

Divulgação

29 de maio de 2020

Projeto quer trancamento gratuito de matrícula de ensino superior

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário