30 de setembro de 2020

SindServ aponta falta de diálogo sobre dívida trabalhista do Município em apresentação de contas públicas

Arquivo

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ponta Grossa, Roberto Ferensovicz, o montante é um crime contra o Município. A previsão para as despesas com dívidas trabalhistas para o Orçamento do Município em 2021 é de R$ 185 milhões.

Foi apresentado ontem, 29, na Câmara Municipal de Ponta Grossa, a Lei Orçamentária Anual de 2021 da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa. Segundo o secretário municipal da Fazenda, Claudio Grokoviski, o orçamento do próximo ano vai superar mais uma vez a marca de R$ 1 bilhão. O que não agradou e gerou debate por parte do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ponta Grossa (SindiServ), Roberto Ferensovicz, foram as dívidas trabalhistas. Segundo Ferensovicz, o montante é um crime contra o Município. “O gestor deveria estar preso ou pagar com os seus bens particulares essa dívida. Eu como munícipe e servidor municipal sei a consequência dessa dívida”, afirmou.

O presidente do SindServ declarou que em diversos momentos, desde o início da gestão do atual prefeito, Marcelo Rangel (PSDB), a entidade tentou discutir formas de diminuir as dívidas trabalhistas e judiciais, mas nunca foram ouvidos.

Ferensovicz explicou que a entidade já discute desde 2014 com o atual governo municipal sobre o cumprimento de leis importantes, mas que sequer foram cumpridas e que o papel do Sindicato não seria outro a não ser entrar na Justiça pelo direito dos trabalhadores e intervir para que não causassem maiores problemas. “O pior de todos os itens que não são exercidos, são em relação a hora atividade. Isso causa mais de R$ 35 milhões de despesa nos cofres públicos com a parte de juros, correção monetária, honorários de advogados. É o dinheiro do contribuinte que vai para o ralo”, ressaltou. O dirigente do Sindserv ainda finalizou afirmando que são contrários à dívida apresentada e que tanto os trabalhadores e o Sindicato não podem ser responsabilizados por isso.

A previsão para as despesas com dívidas trabalhistas para o Orçamento do Município em 2021 é de R$ 185 milhões. (Publi)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

19 de outubro de 2020

Mabel Canto vai melhorar estrutura e valorizar a Guarda Municipal

Arquivo

19 de outubro de 2020

Revitalizar e despoluir arroios é prioridade para o Professor Edson

Divulgação

15 de outubro de 2020

Professora Elizabeth irá criar o Centro de Educação Ambiental do Lago de Olarias

Divulgação

15 de outubro de 2020

“O trabalho da mulher sustenta a agricultura familiar”, ressalta Professor Gadini no Dia Internacional da Mulher Rural

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário