24 de março de 2020

Secretário da Saúde estima até 30 mil casos de coronavírus no Paraná no pico da epidemia

Divulgação

Secretário Beto Preto falou aos deputados sobre as ações de enfrentamento ao coronavírus no Estado hoje, 24, durante a sessão da Assembleia Legislativa.

O Paraná deve ter 10 mil casos de Covid-19 no pico da epidemia, mas se prepara caso esse número chegue a 30 mil. “Para isso, contamos com 200 leitos de (Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) a mais para o caso da epidemia chegar a 40 dias. Se a situação ultrapassar esse período, temos condição de contratar até 600 novos leitos”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, hoje, 24, aos deputados estaduais durante participação na sessão plenária da Assembleia Legislativa. A convite do líder do Governo na Casa, deputado Hussein Bakri (PSD), o secretário explicou aos parlamentares, através do sistema remoto utilizado para a realização da sessão plenária, como o Governo se prepara para o enfrentamento ao Covid-19.
Beto Preto ressaltou que o combate à doença acontece em duas fases:  o rastreio epidemiológico e o atendimento. A primeira etapa se dá pela observação do que vem ocorrendo na Europa e na Ásia. Com isso, investindo na fabricação e aquisição de testes rápidos e atuando firmemente em prevenção. “O paranaense tem seguido as orientações de prevenção passadas pelo Estado, como a interrupção de atividades e o isolamento domiciliar”.

Como se trata de uma pandemia, o secretário diz que não é possível trabalhar com números exatos. Mesmo assim, se mostrou confiante. São três planos diferentes em caso de uma crise aguda. 200 novos leitos de UTIs e 300 de enfermaria em um primeiro momento. Em um segundo estágio, com 350 leitos de UTIs e outros 500 leitos de enfermaria e, se houver um pico mais alto, existe a possibilidade, de acordo com o secretário, de 600 leitos de UTIs mapeados e contratados da rede de hospitais privados, filantrópicos e próprios exclusivamente para o enfrentamento ao Coronovírus.

Dos 10 a 20 mil casos previstos para o Paraná, segundo os estudos do Ministério da Saúde, o secretário Beto Preto esclarece que 85% devem ser leves. Dos 15% restantes, dois terços vão precisar de tratamento em enfermaria e um terço de internamentos. “Sãos esses 15% que nos preocupam e o nosso esforço é para atendê-los da melhor forma, evitando os casos de mortalidade entre os grupos de risco”, disse.

QUESTIONAMENTOS – A conversa com os parlamentares durou cerca de uma hora e o secretário respondeu a diversos questionamentos. Por exemplo, com relação a aquisição de testes rápidos, feito pelo deputado Tião Medeiros (PTB) e da falta de equipamentos, como máscaras para profissionais da saúde, feito pelo deputado Douglas Fabrício (Cidadania), “Além dos testes que produzimos no estado, estamos adquirindo 100 mil testes rápidos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e com relação às máscaras e insumos, infelizmente as empresas não têm cumprido prazos e a procura tem sido muito alta. Só em Curitiba, houve um acréscimo de 200% na utilização de máscaras em dez dias. Estamos tentando resolver essas questões trabalhando em várias frentes”, respondeu o secretário lamentando que uma caixa de máscara que custava em torno de R$ 5,00 hoje está custando R$ 200,00.

OS NÚMEROS NO PARANÁ – Segundo o boletim divulgado nesta terça-feira, são 2.500 casos notificados até o momento. 1844 suspeitos e 70 confirmados. Foram descartados 197 casos. Dez destes casos foram contabilizados nas últimas 24 horas em Curitiba (6), Telêmaco Borba (1), Paranavaí (1), Cascavel (1) e um caso de paciente residente fora do Estado (Brasília). Os pacientes são sete mulheres e três homens com idades entre 23 e 70 anos. Metade das confirmações vem de pessoas que estiveram em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Dubai e Itália.

A Secretaria aguarda a normalização do sistema do Ministério da Saúde para validação de cerca de 600 casos negativos, já diagnosticados e descartados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Quatro pacientes confirmados com o coronavírus estão em isolamento hospitalar, três com quadro clínico considerado leve e um em estado grave. O secretário lembra que “Apesar dos números crescerem a cada dia, o Paraná registra um percentual de 0,39% de casos por 100 mil habitantes.  O menor índice da região Sul”.

EXEMPLO – Beto Preto elogiou as medidas adotadas pelo Poder Legislativo em restringir a entrada de pessoas na Casa, adoção do sistema de teletrabalho para os servidores e a realização de sessões remotas. “A Assembleia Legislativa é a caixa de ressonância da sociedade. Por aqui, passam diariamente milhares de servidores e visitantes.  E os deputados precisam proteger essas pessoas e é o que estão fazendo com essas medidas de proteção”, destacou. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

30 de setembro de 2020

Aliel entrega veículos para APAE e Asilo de Imbituva

Divulgação

30 de setembro de 2020

Elizabeth vai ampliar programas de qualificação e geração de empregos

Arquivo

30 de setembro de 2020

SindServ aponta falta de diálogo sobre dívida trabalhista do Município em apresentação de contas públicas

Divulgação

30 de setembro de 2020

Pauliki quer explorar o potencial turístico de PG

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário