8 de junho de 2019

Ruas da Vila Mariana ganham pavimentação

Divulgação

As ruas Ana Néri e Professora Julia Carneiro Rosas, contempladas pela ação, são apenas parte da aplicação que foram inseridas no programa da Caixa Econômica Federal.

As obras de pavimentação na Vila Mariana (região de Uvaranas), que receberam investimento através do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) iniciaram no final do mês passado e estão em andamento. Serão asfaltadas três quadras que devem ser concluídas ainda neste mês.

Foi preciso fazer a abertura de uma nova rua para reparar danos que eram causados por conta da rede de esgoto e geravam transtornos para a população. “Convivíamos com animais e insetos peçonhentos e venenosos, estamos bem satisfeitos com essa nova fase, toda a região vai ganhar com isso”, conta Joana Lirani, moradora da Vila Mariana há 13 anos.

As ruas Ana Néri e Professora Julia Carneiro Rosas, contempladas pela ação, são apenas parte da aplicação que foram inseridas no programa da Caixa Econômica Federal, viabilizado pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa com recursos que chegam a R$ 100 milhões destinados para pavimentação e infraestrutura da cidade. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

26 de junho de 2019

Em fim de mandato, Rangel promete deixar licitado asfalto em 90% das ruas de PG

Divulgação

CASTRO

26 de junho de 2019

Curso prepara lideranças comunitárias

Divulgação

26 de junho de 2019

Erva-mate pode impulsionar economia no Vale do Iguaçu

Divulgação

26 de junho de 2019

É preciso uma reforma que corrija distorções, diz Aliel

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

28 de agosto de 2018

Vaza áudio de secretário de Cida falando sobre dinheiro em troca de apoio

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário