8 de julho de 2019

Ricardo leva denúncia ao MP e cobra plano de cargos e salários para GMs de PG

Divulgação

Vereador apresentou representação ao Ministério Público cobrando a efetivação de um plano de Cargos e Salários para os guardas municipais. Prazo dado pela lei já está vencido. Integrantes, familiares e apoiadores da Guarda Municipal estiveram hoje na Câmara Municipal para apoiar o pleito do parlamentar.

O vereador Ricardo Zampieri (PSL) denunciou hoje, 08, ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) a falta de um plano de cargos e salários para os guardas municipais (GMs) de Ponta Grossa. No documento entregue ao MP, Ricardo salienta que o prazo previsto em lei para a implementação do plano já venceu e pede para que o órgão obrigue a Prefeitura Municipal a implementar o direito dos agentes de segurança.

No documento, Ricardo lembra que a implementação do plano está prevista na Legislação Nacional representada pelo Estatuto Geral das Guardas Municipais (EGGM), além de também ter previsão na lei federal 13.022/2014, como também na própria Constituição Federal. “Neste caso, vemos uma demora da Prefeitura em estabelecer esse plano. O prazo é de dois anos, mas já se passaram quase 15 anos de fundação da Guarda Municipal [fundada em 2004] e até agora nada”, disse o vereador.

Ricardo lembra que em diversos municípios brasileiros o Ministério Público vem agindo para que os Poderes Executivos adequem as contas e os gastos para implementar o plano que é direito dos guardas.

O vereador do PSL lembra ainda que o estatuto da GM de Ponta Grossa está em vigor há cinco anos e, até agora, o município não efetivou as medidas necessárias para implementar o plano de cargos e salários. “Ao mesmo tempo que o número de cargos de confiança da Prefeitura é alarmante, o Município demora tanto tempo para efetivar a criação do plano que é um direito dos guardas aprovados em concurso público”, conta Ricardo.

DISCREPÂNCIA – No documento entregue ao Ministério Público, Ricardo Zampieri destaca que, comparado a outros cargos de nível técnico, os guardas municipais de Ponta Grossa sofrem com uma discrepância salarial. “O salário-base de um GM hoje é de R$ 1.042,00, enquanto outros cargos técnicos têm salários muito superiores. Importante lembrar que para ingressar na GM é obrigatório ter ensino médio completo, o que garantiria enquadramento no nível técnico”, aponta o vereador.

Ricardo lembra que a denúncia busca a efetiva valorização dos guardas municipais. “Em Curitiba, por exemplo, a aprovação do plano de cargos e salários representou um avanço importante para a categoria. Lá, um guarda municipal tem um salário mais representativo e pode avançar na carreira, com base em aspectos de mérito e aperfeiçoamento profissional”, explica Ricardo.

Integrantes, familiares e apoiadores da Guarda Municipal estiveram hoje na Câmara Municipal para apoiar o pleito do vereador. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

2 de agosto de 2020

Paraná vai colher mais de 41 milhões de toneladas de grãos

Divulgação

2 de agosto de 2020

Boletim agropecuário aborda previsão positiva para o trigo

Divulgação

2 de agosto de 2020

Rangel faz ‘jogo duplo’ e confirma pré-candidatura de Superman

Divulgação

2 de agosto de 2020

Prefeitura apresenta resultados da consulta popular para LDO 2021

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário