16 de março de 2017

Rangel vai ao Ministério da Saúde reivindicar médicos e recursos para o Hospital da Criança

Arquivo

A partir de amanhã, 26, as pessoas que procuravam a Unidade de Pronto Atendimento Infantil, localizada na Santa Paula, deverão se dirigir até o atendimento do Hospital da Criança. A medida é preventiva foi adotada temporariamente.

O programa Mais Médicos, do Governo Federal, disponibilizou médicos intercambistas para todo o Brasil. A cidade de Ponta Grossa foi a que mais recebeu os profissionais cubanos, 60 deles permaneceram durante 3 anos na cidade. Ontem, o prefeito Marcelo Rangel (PPS), esteve no Ministério da Saúde, para reforçar a importância dos profissionais nas Unidades Básicas de Saúde e reiterar o pedido da substituição.

A partir do mês de maio, esses profissionais passarão a ser trocados, o contrato com o Ministério da Saúde e com o Governo Cubano prevê este prazo. A substituição é gradativa, não prejudicando o atendimento à população.

Rangel sugeriu algumas mudanças no programa, com o intuito de poder manter por mais tempo os profissionais que permaneceram durante um período na cidade. “Os médicos cubanos foram muito bem recebidos por nossa população, desafogaram um buraco que tínhamos. Eles completaram as Unidades Básicas de Saúde e os Programas Saúde da Família. Os pacientes estão familiarizados com eles, seria interessante trabalharmos com a possibilidade de poder manter eles aqui”, destaca o prefeito.

Ainda em Brasília, Rangel aproveitou a oportunidade para solicitar o apoio na reestruturação do Hospital Municipal da Criança João Vargas de Oliveira, podendo voltar a trabalhar com pacientes de média e alta complexidade.

ENCONTRO – Ainda ontem, em Ponta Grossa, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), juntamente com a equipe técnica do Hospital Municipal da Criança, se reuniu com representantes da 3ª Regional da Saúde e do Ministério da Saúde para dar andamento nas iniciativas de reestruturação do Hospital.

A intenção do encontro foi buscar alternativas para a viabilizar a reestruturação. Na reunião, foram realizados encaminhamentos em relação aos projetos para levantamento de custos e também para avaliar de que forma serão repassados os recursos para o município para a aquisição de equipamentos e o credenciamento das unidades que serão implantadas. “A Secretaria de Estado da Saúde vê a reestruturação com bons olhos, mas é necessário pensar em tudo, desde os equipamentos até funcionamento do hospital clínico e cirúrgico”, destaca a diretora da 3ª Regional da Saúde, Scheila Mainardes.

Ainda durante a reunião, foi estipulado algumas metas que devem estar contempladas no projeto inicial. O documento será apresentado na próxima reunião, marcada o início do mês que vem, que irá formalizar a formação de uma comissão tripartite, formada por membros do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

22 de janeiro de 2021

Paraná assume presidência do Codesul

Divulgação

22 de janeiro de 2021

Unidades de Saúde exclusivas para atendimento de Covid estendem horário

Divulgação

22 de janeiro de 2021

No Paraná, 57,2 mil pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19

Divulgação

22 de janeiro de 2021

Prefeitura finaliza imunização dos profissionais da saúde municipal e inicia aplicação nos idosos das ILPIs

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista