13 de abril de 2017

Projeto de lei prevê parcelamento para regularização de ITBI

Divulgação

Programa de Regularização Imobiliária permitirá que contribuinte legalize a situação de seu imóvel com parcelamento em até 12 vezes

Na próxima semana, a Procuradoria Geral do Município (PGM) encaminhará ao Legislativo um projeto de lei para instituir o Programa de Regularização Imobiliária, garantindo forma de pagamento mais flexível para os contribuintes que estão inadimplentes com o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). De acordo com estudos da Procuradoria, existe na cidade um mercado imobiliário paralelo, com a compra e venda de imóveis sem o devido registro e recolhimento de ITBI.

“Realizamos algumas análises e constatamos que a arrecadação de ITBI em Ponta Grossa é pequena, comparativamente com outros municípios. Nossa arrecadação de ITBI representa ¼ da arrecadação de Maringá, onde há 20 mil cadastros de IPTU a menos que em Ponta Grossa. Esse número faz com que tenhamos expectativa de aumentar a arrecadação desse imposto apenas com a regularização dos inadimplentes, sem a necessidade de aumentar a alíquota”, explica o procurador geral, Marcus Freitas.

Para regularizar o imóvel atualmente, o contribuinte tem apenas a alternativa do pagamento à vista, que representa 2% do valor total do bem. “Várias pessoas deixaram de recolher esse imposto por ser um valor inviável e ter que ser pago à vista, mas com essa flexibilização do pagamento, o ITBI pode ser regularizado com parcelamento em até 12 vezes, com uma entrada de 20%”, detalha Freitas sobre o projeto de lei.

O encarregado técnico de Dívida Ativa, Leandro Bastos Antunes, orienta que é necessário cuidado e critério na compra e venda de bens. “Quando se vende ou compra um imóvel, deve-se fazer o devido registro em cartório. Muitas pessoas não fazem, pelo custo do ITBI. Estima-se que há muitos imóveis comprados e vendidos sem regularização. Mas o imóvel só será efetivamente do atual proprietário após o pagamento do ITBI e regularização da dívida. Enquanto isso não ocorrer, o contribuinte não tem legalmente a propriedade desse bem”, aponta Antunes.

O Programa de Regularização Imobiliária terá prazo de duração de até seis meses e prevê o parcelamento do ITBI para contribuintes que compraram imóveis em Ponta Grossa até 31 de dezembro de 2016, com entrada de 20% do valor devido e o parcelamento do restante em até 12 vezes. O contribuinte que aderir ao programa e não efetuar todos os pagamentos será inscrito em Dívida Ativa, ficando sujeito a protesto ou execução judicial.

“Se aprovado o projeto, o município poderá proporcionar uma maneira mais flexível para que as pessoas regularizem o seu patrimônio. Além disso, pode garantir um aumento de arrecadação sem onerar o contribuinte e sem aumentar a alíquota, trazendo aquele contribuinte inadimplente que precisa regularizar sua situação imobiliária”, afirma o procurador. O projeto de lei está em fase de finalização na Procuradoria Geral e deve ser enviado á Câmara nos próximos dias.

PENDÊNCIAS COM ITBI – No site da Prefeitura de Ponta Grossa, através da plataforma Tributos Web, é possível verificar a existência de pendências com ITBI.

No link http://tributos.pontagrossa.pr.gov.br/3.82.140.1/AiseTributosWebFlex.html, basta seguir o caminho: débitos> consultar débitos> tipo imobiliário e preencher com o número do cadastro. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

21 de janeiro de 2021

Um governo de continuidade dos bons projetos, ressalta Elizabeth

Divulgação

20 de janeiro de 2021

“Não aceitamos uma licitação viciada”, afirma Romanelli sobre novo pedágio

Arquivo

20 de janeiro de 2021

Hussein Bakri entrega viatura para Guarda e cumpre agenda amanhã em PG

Divulgação

20 de janeiro de 2021

Maribel Krum assume comando da Guarda Civil Municipal

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista