8 de fevereiro de 2019

Professores terão mais tempo para estudo e planejamento

Divulgação

Com readequação do calendário escolar de 2019, servidores terão seis dias destinados para estudo e planejamento pedagógico divididos em três momentos ao longo do ano. Primeira rodada acontece nos dias 11, 12 e 13.

Professores e funcionários das escolas da rede estadual de ensino terão seis dias destinados exclusivamente para estudo e planejamento divididos em três períodos, nos quais os servidores terão mais tempo para atualização e preparação de ações para o ano letivo.

O primeiro momento acontece nos dias 11, 12 e 13. Já o segundo encontro irá acontecer no retorno do recesso de julho, nos dias 25 e 26. Em outubro, o primeiro sábado do mês também será dedicado a essas atividades.

A mudança no calendário e a ampliação do período para estudo e planejamento atende a uma demanda dos professores e funcionários. “O objetivo dos dias de Estudo e Planejamento é propor coletivamente a implementação de ações que impactem na melhoria da aprendizagem”, explicou o superintendente da Educação, Raph Gomes Alves. Segundo ele, possibilitar essa troca de experiências e a elaboração de planos de ação é fundamental para aprimorar a aprendizagem.

ATIVIDADES –O cronograma foi elaborado pela Secretaria de Estado da Educação para ampliar o tempo destinado à preparação dos profissionais e garantir a continuidade do projeto de aprendizado definido no início do ano letivo.

Dando sequência aos estudos iniciados na formação dos diretores, realizada em janeiro, a ideia é que os professores se debrucem sobre os dados do Ideb (indicador da qualidade da educação básica no Brasil) e estabeleçam metas e planos de ação, visando aprimorar o processo de aprendizagem.

CRONOGRAMA –A Secretaria da Educação elaborou materiais para subsidiar o desenvolvimento dessas atividades. No primeiro dia, os professores vão trabalhar as questões relacionadas à avaliação e resultados obtidos por suas escolas.

No segundo dia, receberão materiais diferenciados: primeiro sobre Gestão de Sala de Aula e Liderança no processo educativo e depois sobre organização interna e tecnologia e inovação, material esse que poderá ser utilizado conforme opção da escola.

O terceiro dia será destinado à elaboração do planejamento das aulas, começando pela primeira quinzena de aulas, a partir do Plano de Ação e das metas estabelecidas no primeiro dia. A proposta é que durante a primeira quinzena os professores façam um nivelamento da aprendizagem dos alunos, de modo a identificar as fragilidades dos estudantes e elaborar ações didáticas de superação.

De acordo com o superintendente da Educação, o objetivo dessas atividades é ajudar os professores a analisar os indicadores educacionais, levantando hipóteses sobre as causas das dificuldades e fragilidades dos estudantes.

AVALIAÇÃO –Uma novidade desse ano é o formulário de avaliação on-line que os professores e funcionários deverão preencher após os dias de estudo e planejamento.

O formulário possibilitará que os profissionais avaliem a qualidade do material preparado pela Secretaria, a qualidade dos temas e da mediação e servirá para que a Secretaria possa reavaliar os insumos para o próximo período de estudo e planejamento. A avaliação é pré-requisito para a certificação da participação dos professores. (Com AEN)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

3 de julho de 2020

Estado e União alinham modelagem do novo Anel de Integração

Divulgação

3 de julho de 2020

Plauto entrega maquinário para Carambeí

Divulgação

3 de julho de 2020

Obras do novo acesso a Castro iniciam em agosto

Divulgação

3 de julho de 2020

Posto Rodoil inaugura em PG na segunda

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário