8 de março de 2017

Procuradoria já recuperou R$ 13 milhões de contribuintes devedores em 2017

Arquivo

Mandado de segurança impetrado pela Procuradoria Geral do Município obtém liminar favorável para garantir o repasse de valores referente ao convênio com o Governo do Estado para manutenção do Hospital Municipal e Hospital da Criança

Para aumentar a arrecadação do Município, a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa desenvolveu um pacote de 11 medidas, já enviadas para discussão e votação no Legislativo. Mesmo com a aprovação de apenas um dos projetos até o momento, o que prevê a compensação de débitos da dívida ativa por precatórios, o município já sente o impacto positivo na arrecadação.

“Só com a apresentação dessas medidas do pacote, além de um trabalho intenso de divulgação, conseguimos aumentar em 20% a arrecadação dos meses de janeiro e fevereiro, em comparação com o mesmo período do ano anterior”, revelou o Procurador Geral do Município, Marcus Freitas. Desde o início da nova gestão municipal, o setor de Dívida Ativa foi incorporado pela Procuradoria Geral, que vem tomando medidas para aumentar a arrecadação sem onerar o contribuinte.

Conforme dados da Procuradoria, somente em pagamentos à vista, a Prefeitura arrecadou R$ 59 milhões nos dois primeiros meses desse ano, R$ 10 milhões a mais que o mesmo período em 2016. Também houve crescimento na arrecadação do pagamento parcelado. Em janeiro e fevereiro de 2016, 2.200 procuraram a Prefeitura para realizar o parcelamento de seu débito e esse número subiu para 3.500 contribuintes no mesmo período deste ano. “Com isso, de pouco mais de R$ 2 milhões desse período em 2016, subimos para quase R$ 6 milhões até fevereiro de 2017. Em dois meses, com medidas de ajuste fiscal e cobranças mais eficientes, aumentamos os impostos municipais em R$ 13 milhões, aproximadamente”, destaca Freitas.

O Procurador Municipal ainda destaca a importância dos tributos municipais para a população. “As pessoas precisam entender que o IPTU, o ITBI, o ISS, a contribuição de melhoria, a taxa do lixo e as multas ficam 100% para o município. O IPVA, que todo mundo paga, só vem 50% para o município. E o imposto municipal, que vem 100% para nós, as pessoas deixam para fazer o pagamento por último. Temos que mudar o conceito de arrecadação municipal. Queremos que as pessoas entendam que o imposto mais importante a ser pago é o imposto de onde ela vive, que é o dinheiro que vai ficar na cidade onde ela mora”.

PARCERIA – A Procuradoria Geral do Município também pretende firmar uma parceria com as Receitas Federal e Estadual, para garantir a troca de informações entre os órgãos e fiscalizações em conjunto. “Vamos fazer um convênio entre Prefeitura, Receita Federal e Receita Estadual, trabalhando junto em troca de informações de empresas e empresários, para que a gente possa ter uma eficiência maior na cobrança. Na prática, o convênio é para ter acesso a todas as informações que hoje o município de Ponta Grossa não tem. Além de realizar operações em conjunto, in loco, nas empresas”, adianta o procurador geral. (Especial para o BLOG DO JOHNNY)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

22 de janeiro de 2021

Paraná assume presidência do Codesul

Divulgação

22 de janeiro de 2021

Unidades de Saúde exclusivas para atendimento de Covid estendem horário

Divulgação

22 de janeiro de 2021

No Paraná, 57,2 mil pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19

Divulgação

22 de janeiro de 2021

Prefeitura finaliza imunização dos profissionais da saúde municipal e inicia aplicação nos idosos das ILPIs

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista