18 de julho de 2017

Prefeitura discute desenvolvimento do Parque Tecnológico com a Embrapa

Divulgação

O órgão apresentou proposta de implantação voltada à inovação do agronegócio ponta-grossense

A Prefeitura Municipal recebeu ontem representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para discutir sobre parcerias para a criação do Parque Tecnológico de Ponta Grossa. O primeiro encontro definiu os encaminhamentos necessários para o desenvolvimento do projeto, que deverá transformar a cidade em um polo de inovação e pesquisa tecnológica.

A instituição, pertencente ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, apresentou uma síntese de proposta de implantação voltada ao agronegócio, que visa promover o desenvolvimento regional de inteligência com foco na agregação de valor e novos produtos a serem inseridos no mercado.

Segundo o Gerente Adjunto de Mercado da Embrapa, Rafael Vivian, a empresa se interessou por Ponta Grossa devido à sua localização e recente desenvolvimento industrial. “Queremos fomentar o aproveitamento de matéria prima e mão de obra regional para criar uma cultura de inovação, fazendo com que iniciativas locais sejam potencializadas”, explica.

O secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonar, ressaltou o interesse do Município no desenvolvimento de projeto e apresentou ações que já vêm sendo feitas nesse sentido. “Os primeiros passos já foram dados. Contratamos um estudo que apresentará um mapeamento do ecossistema de inovação e queremos montar um centro de inovação na cidade”, afirmou.

Ele também destacou o Parque Industrial, que recebeu grandes investimentos nos últimos anos. “Estamos recebendo indústrias e desenvolvendo um programa de atração de investimentos (PMAI). O que nos falta, é o setor de inovação”, analisa Carbonar.

Uma das características do projeto é o investimento ser mais intenso na área de pesquisa do que na estrutural, para incentivar descobertas, criações e aprimoramentos. “Precisamos trabalhar com incubadoras e investidores. A intenção inicial não é na produção, mas sim em centros de excelência em pesquisa que tragam as inteligências das empresas, como o modelo do Vale do Silício”, concluiu Vivian. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

23 de novembro de 2020

Mabel propõe premiação para empresas incentivadoras de ações culturais

Divulgação

23 de novembro de 2020

Aliel entrega veículo para Comunidade Terapêutica Rosa Mística

Divulgação

23 de novembro de 2020

TRE suspende divulgação de Pesquisa Equação/Arbeit

Divulgação

21 de novembro de 2020

Professora Elizabeth destaca projetos e ações para crianças e jovens

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra