7 de julho de 2017

Prefeitura apresenta a vereadores projeto que acabará com isenções e reduções de ISS

Divulgação

Em reunião com parte do Legislativo, administração apresentou projeto que prevê as alterações e esclareceu dúvidas dos vereadores. Projeto será enviado à Câmara Municipal hoje, em regime de urgência

Em reunião ontem com parte do Legislativo Municipal, a Prefeitura de Ponta Grossa apresentou detalhes do projeto de lei que prevê revogar todas as isenções e reduções do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). A medida será protocolada na Câmara Municipal hoje, em regime de urgência, para atender a lei complementar 157/2016, do Governo Federal. “Foi uma importante reunião, onde o Executivo demonstrou aos vereadores que com este projeto está apenas cumprindo uma legislação federal, ou seja, cortar as isenções e reduções é uma determinação da lei complementar 157/2006. Na oportunidade, explicamos sobre a legislação e tiramos dúvidas sobre como a medida impactará no município. O mais importante é o esclarecimento de que esse corte nas reduções e isenções não é uma decisão do Executivo, apenas o cumprimento da lei”, destaca o Procurador Geral, Marcus Freitas.

São previstas apenas três exceções no corte de isenções e reduções no ISS no texto da lei federal: empresas de construção civil, empreiteiras e companhias do transporte público. Caso a lei não entre em vigor no âmbito municipal, o gestor público pode ser penalizado no crime de improbidade administrativa. “A intenção do município é cumprir o que determina a lei complementar, retirando todas as isenções que o município fornece atualmente às empresas. Hoje, o município conta com mais de três mil contribuintes que estão no Simples Municipal e são isentas. Essas empresas agora vão contribuir com 2% sob o faturamento mensal. O fim das reduções e isenções acaba contribuindo com o caixa da Prefeitura, com uma arrecadação prevista de R$ 18 milhões no ano”, explica o secretário municipal de Gestão Financeira, Cláudio Grokoviski.

O Procurador Geral do Município reforça que considerando a importância da medida e tendo em vista que a lei tributária precisa atender aos princípios de anterioridade e noventena, o projeto de lei precisa ser sancionado até 31 de setembro, para que sua vigência se inicie em 1º de janeiro de 2018.

A reunião foi comanda pelo prefeito Marcelo Rangel, o Procurador Geral do Município, Marcus Freitas, e o secretário de Finanças, Cláudio Grokoviski. Estiveram presentes o secretário de Governo, vereador-licenciado Maurício Silva, e os vereadores Valtão, Daniel Milla, Divo, Mingo, Pastor Ezequiel, Eduardo Kalinoski, Sebastião Mainardes Júnior, presidente da Câmara Municipal, Rudolf Polaco, Paulo Balansin, Florenal, e assessores dos vereadores Professora Rose, Dr. Magno, Felipe Passos e Dr. Zeca. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

23 de novembro de 2020

Mabel propõe premiação para empresas incentivadoras de ações culturais

Divulgação

23 de novembro de 2020

Aliel entrega veículo para Comunidade Terapêutica Rosa Mística

Divulgação

23 de novembro de 2020

TRE suspende divulgação de Pesquisa Equação/Arbeit

Divulgação

21 de novembro de 2020

Professora Elizabeth destaca projetos e ações para crianças e jovens

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra