PMAI aponta indicadores de Ponta Grossa

10/10/17

Divulgação

A Agência Paraná Desenvolvimento (APD), responsável pela elaboração do Programa Municipal de Atração de Investimentos, apresentou indicadores econômicos da cidade e fez uma análise inicial dos dados coletados

A Agência Paraná Desenvolvimento (APD), responsável pela elaboração do Programa Municipal de Atração de Investimentos, apresentou indicadores econômicos da cidade e fez uma análise inicial dos dados coletados

Foi realizada ontem mais uma reunião técnica do Programa Municipal de Atração de Investimentos (PMAI), projeto contratado pela Prefeitura em parceria com a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG). No encontro, a Agência Paraná Desenvolvimento (APD), responsável pelo estudo, apresentou indicadores econômicos da cidade e fez uma análise inicial dos dados coletados.

O PMAI está na sua primeira fase, de elaboração de um diagnóstico socioeconômico do município, mas também contempla metas de criação de estratégias de marketing para o município e desenvolvimento de ações de prospecção de investimentos.

Segundo o gerente de Desenvolvimento Econômico da APD, Jean Alberini, a Agência funcionará como gerenciadora destes projetos, que terão ações concretas. “O PMAI vai transformar Ponta Grossa em uma espécie de produto, que será ‘vendido’ em feiras, reuniões e encontros para que os investidores ‘comprem’ a cidade e a escolham para construir novos empreendimentos”, exemplificou.

Para o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonar, o PMAI é uma ferramenta que auxiliará no crescimento organizado de Ponta Grossa. “Pela primeira vez desde 2014, quando o levantamento das 100 melhores cidades brasileiras para investir em negócios começou a ser feito pela revista Exame, a nossa cidade entrou no ranking. Isso é um fato inédito, mas que queremos que se repita e melhore mais a cada ano. E o PMAI é um dos artifícios que deverão auxiliar nesses indicadores”, afirmou.

INDICADORES SIGNIFICATIVOS – Na primeira reunião do PMAI um questionário foi respondido pelas mais de 15 entidades presentes e o resultado condensado também foi exposto na reunião de ontem, indicando as percepções dos ponta-grossenses em relação ao ecossistema de negócios da cidade – considerando desde as bases de infraestrutura até os ambientes setoriais.

Entre os dados apresentados pela Agência Paraná de Desenvolvimento (APD) está o Produto Interno Bruto (PIB) de Ponta Grossa, que gira em torno de R$ 11 bilhões – o equivalente a 71% do PIB da microrregião. Dividindo pela população, o PIB per capita do município ultrapassa R$ 34,6 mil, índice maior do que o de cidades como Londrina, Foz do Iguaçu e Cascavel e da própria média do Paraná, que é de cerca de R$ 30 mil.

Citando o valor adicionado bruto por setor produtivo, o que mais se destaca é o de serviços (quase R$ 5,3 bilhões), seguido do industrial, R$ 3,4 bilhões (superior ao de Maringá, que representa cerca de R$ 2,6 bilhões), e tendo o agropecuário na sequência (quase R$ 242 mil). O levantamento da APD, baseado em dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), também mostra que há mais de 23 mil empregos no comércio e mais de 15 mil vagas na indústria. (Com assessoria)



Últimas notícias


Mais Vistos