18 de setembro de 2019

Nomeação em duplicidade evidencia indicação de Felipe Passos para cargo na Prefeitura

Arquivo

Para quem diz “combater os privilégios”, a prática do “toma lá, dá cá” pode ser interpretada como um falso moralismo.

A exoneração de Felipe dos Santos Reis do cargo de diretor Operacional da Secretaria Municipal de Serviços Públicos (SMSP), e a nomeação em duplicidade para o cargo de Assessor de Gabinete da SMP, e de chefe de gabinete do vereador Felipe Passos, publicadas em Diário Oficial hoje, 18, chamou a atenção dos vereadores e evidencia a indicação política do parlamentar do cargo no governo Marcelo Rangel (ambos do PSDB).

Questionado pela reportagem do Blog do Johnny, Passos confirmou a sua relação com Reis. “Conheci o trabalho de outras empresas em que trabalhou e por ser muito competente, fiz o convite para vir trabalhar comigo na Câmara”, disse o vereador.

Felipe Reis atua ou atuava na SMSP desde abril deste ano.

A indicação política de Passos para um cargo no governo do seu partido não é ilegal, inclusive é prática comum entre os vereadores da base do prefeito, como é o seu caso. Porém, para quem diz combater os privilégios, a prática do “toma lá, dá cá” pode ser interpretada como um falso moralismo.


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

27 de maio de 2020

Paraná tem 200 novos casos de Covid-19 e mais três óbitos

Arquivo

27 de maio de 2020

Caminhoneiro de Telêmaco com Covid-19 morre em Paranaguá

Divulgação

27 de maio de 2020

Plauto conquista recursos para nova iluminação em Carambeí

Arquivo

27 de maio de 2020

Ponta Grossa registra quatro novos casos de Covid-19: 66 no total

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário