12 de fevereiro de 2018

Mais de 54 mil contribuintes serão notificados pela falta de pagamento do IPTU 2018

Divulgação

Além de notificações para os contribuintes inadimplentes com o IPTU 2018, Prefeitura irá protestar mais de R$ 21 milhões de exercícios anteriores

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal da Fazenda e da Procuradoria Geral do Município, está intensificando as ações de Justiça Fiscal no Município, para a recuperação de valores devidos aos cofres públicos. A partir da próxima semana, mais de 54 mil contribuintes começarão a receber notificações pelo não pagamento da primeira parcela do IPTU 2018, o que representa uma inadimplência de R$ 2,9 milhões, equivalente a 32% do que foi lançado para o período.

“Decidimos realizar essa notificação mês a mês para aqueles contribuintes cujos registros não indicam o pagamento das parcelas do tributo. Além de recuperar estes valores, nosso objetivo também é de alertar o contribuinte antes que a dívida dele aumente e ele fique sujeito às ações do Município, como a execução fiscal ou o protesto”, explica o secretário da Fazenda, Cláudio Grokoviski.

De acordo com ele, além de chamar a atenção daquele contribuinte que pode ter perdido o prazo para o pagamento da primeira parcela do IPTU 2018, também alerta para o risco da inscrição no cadastro da Dívida Ativa e suas consequências. “O quanto antes estes contribuintes regularizarem sua situação, será melhor. Até o final desta gestão, não temos previsão de realizar qualquer outro programa de renegociação de dívidas. Ou seja, quem deixar esses valores acumularem, precisará quitar com os juros e multas do período em atraso”, adianta Grokoviski.

Aqueles que já tiverem regularizado sua situação e receberam a notificação, podem desconsiderar o alerta. Para ficar em dia com o Município, é possível emitir uma guia para pagamento com valor atualizado da primeira parcela do IPTU 2018 na Praça de Atendimento ou através da plataforma Tributos Web, no site da Prefeitura.

PROTESTO – A partir da próxima semana, a Procuradoria Geral do Município deverá finalizar a separação por lotes para o protesto de R$ 21 milhões já inscritos em Dívida Ativa. Os valores protestados são referentes a débitos oriundos de tributos não pagos em 2017, como IPTU, ISS e outras taxas.

“Iniciaremos o protesto destes valores nos próximos dias, dividido em lotes. Estamos trabalhando com a ferramenta do protesto até mesmo por uma orientação do Ministério Público. Ao restringir o crédito do devedor, o protesto se torna mais eficiente que outras medidas para a recuperação dos valores. A ferramenta é mais uma ação de Justiça Fiscal, buscando estratégias para cobrar do inadimplente aquilo que é justo a Prefeitura receber”, afirma o procurador geral, Marcus Freitas.

O procurador geral destaca ainda que o valor devido ao Município é muito maior do que é devido pelo Poder Executivo. “A Dívida Ativa hoje chega a R$ 250 milhões, sem correção monetária. Esses valores devidos permitiram a quitação dos valores devidos em precatórios, por exemplo, hoje na casa de R$ 116 milhões. O Município tem dívidas de mais de 15 anos para quitar nos próximos anos, sob pena de ter valores sequestrados. Se o município não combater essa inadimplência, vai ficar numa situação insustentável. Por isso adotamos a Justiça Fiscal”, finaliza Freitas. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Muffato anuncia nova loja Max Atacadista com investimento de R$ 40 mi em PG

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Desavesso promove bazar em Ponta Grossa amanhã

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Ratinho Junior garante que proteção à criança é prioridade no Paraná

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Prefeitura de Ponta Grossa amplia investimentos em saúde e educação

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

28 de agosto de 2018

Vaza áudio de secretário de Cida falando sobre dinheiro em troca de apoio

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário