11 de julho de 2018

Inovação pecuária, artigo de Marcello Richa

Divulgação

"Precisamos valorizar aquilo que produzimos e, com trabalho conjunto entre o poder público e iniciativa privada, criar condições para que sejamos pioneiros nesse segmento, tornando o Paraná cada vez mais uma referência de qualidade na pecuária."

Muitas vezes destaquei que o Paraná é um estado com diversas potencialidades, que vão desde o turismo e agronegócio até a competitividade da nossa indústria. Dessa forma, temos muitas oportunidades para expandir nossa economia ao estimular e promover melhorias daquilo que é característico de nossa região.

Em 2017 tivemos um grande avanço na pecuária com o reconhecimento nacional da raça bovina Purunã, que tem origem em nosso Estado e foi desenvolvida pelo Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) desde a década de 80. Resultado do cruzamento de outras quatro raças (Charolês, Aberdeen Angus, Caracu e Canchim), o gado Purunã apresenta características extremamente atraentes para o mercado, como tolerância ao calor, padronização das carcaças, velocidade no ganho de peso, idade reprodutiva precoce, resistência a doenças e temperamento dócil.

Além de atender os mercados mais exigentes, essa raça também é adaptada para diferentes tipos de criadores, sem exigir grandes investimentos tecnológicos. São fatores extremamente positivos que precisam ser trabalhados para fortalecer o crescimento econômico e social das áreas rurais.

Apesar do enorme potencial, a raça Purunã ainda possui uma atuação limitada no Estado, com uma estimativa de três a quatro mil animais em criação. Dessa forma, desenvolver programas inovadores que estimulem esse segmento permitirá que tenhamos uma linhagem genética pura e de confiança para o mercado, bem como excelentes possibilidades de negócios que irão aquecer a economia paranaense.

Atualmente diversas prefeituras ajudam os produtores com a distribuição de sêmen de bovino, contribuindo para o aumento da produção. Aprimorar esses projetos e/ou implantar um programa de inseminação artificial do gado Purunã é uma opção válida para promover o crescimento dessa raça no Estado, criando condições e acesso para os pequenos e médios produtores.

Em conjunto com a promoção de cursos para criação do gado, teríamos os instrumentos para estimular a expansão da produção, com benefícios de curto, médio e longo prazo que trariam, gradualmente, uma diminuição da importação e aumento da exportação no Estado, geração de empregos e capitalização dos produtores.

Em basicamente qualquer mercado, os maiores beneficiados são sempre aqueles que chegam primeiro e a raça Purunã já desperta interesse de diversos estados como Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo. Precisamos valorizar aquilo que produzimos e, com trabalho conjunto entre o poder público e iniciativa privada, criar condições para que sejamos pioneiros nesse segmento, tornando o Paraná cada vez mais uma referência de qualidade na pecuária.

Marcello Richa é presidente do Instituto Teotônio Vilela do Paraná (ITV-PR)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Muffato anuncia nova loja Max Atacadista com investimento de R$ 40 mi em PG

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Desavesso promove bazar em Ponta Grossa amanhã

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Ratinho Junior garante que proteção à criança é prioridade no Paraná

Divulgação

21 de fevereiro de 2019

Prefeitura de Ponta Grossa amplia investimentos em saúde e educação

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

28 de agosto de 2018

Vaza áudio de secretário de Cida falando sobre dinheiro em troca de apoio

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário