Indústria chinesa confirma instalação de unidade em Ponta Grossa

09/06/18

Divulgação

Grupo Pingle anunciou o investimento durante a viagem do prefeito e secretário municipal à China

O prefeito Marcelo Rangel (PSDB) e o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonare, estiveram em viagem oficial na China, para apresentar o município ao Grupo Pingle, que fabrica máquinas para moagem de trigo. O deslocamento foi um retorno para a visita técnica realizada por uma equipe da empresa à Ponta Grossa, que estava sendo cotada como a cidade-sede da primeira unidade da chinesa no ocidente – investimento confirmado pelos executivos da companhia.

“Como as relações deles são baseadas em confiança, nossa viagem foi crucial para a confirmação da vinda da empresa para a nossa cidade”, contou Rangel em uma coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira, 06, onde apresentou a carta oficial escrita pela equipe chinesa que detalha o investimento.
Ponta Grossa foi confirmada como a base da Pingle na América Latina e a sexta unidade do grupo no mundo. O valor inicial do empreendimento deverá de ser U$ 1 milhão para a locação de um espaço que dará início à montagem dos equipamentos. Conforme explica o secretário Carbonare, esta primeira base deverá começar a atender os clientes já existentes. “A Pingle atua no Brasil há cerca de 10 anos operando diretamente da China, e já deverá direcionar os seus cerca de 35 clientes a partir de Ponta Grossa”, ressaltou, destacando que posteriormente será construída uma estrutura no Distrito Industrial em um terreno de 20 mil metros quadrados.

O número de empregos que serão gerados e o investimento total deverão ser divulgados em setembro em uma nova visita do grupo de executivos ao Brasil, que aproveitarão um encontro nacional relacionado à produção de trigo para visitar Ponta Grossa e assinar o protocolo de intenção da implantação da indústria.

“A empresa é a maior do setor naquele país, e irá somar ainda mais na economia de toda a nossa região, que já tem um caráter moageiro”, aponta Rangel, que também conta que na China a Pingle possui cerca de 1.200 empregos diretos.

Além do prefeito e do secretário municipal também integraram a comitiva de Ponta Grossa representantes de sete empresas da região, que aproveitaram a agenda da administração municipal para trocar informações e auxiliar na apresentação da economia dos Campos Gerais.

CENÁRIO ECONÔMICO – Um dos atrativos de Ponta Grossa para a Pingle é o agronegócio e o giro de mercado do setor moageiro da região e do estado. Um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) de 2015 que analisou o panorama do setor de trigo aponta que o estado dispõe de 96 empresas de moagem, gerando cerca de 4 mil empregos.

Já em relação ao setor industrial de Ponta Grossa, no exercício de 2016, o valor adicionado da indústria – que mostra a performance dos negócios no contexto local e no crescimento da região – foi referente a R$ 4,6 bilhões. Hoje, o parque industrial do município é o maior do interior do estado. (Com assessoria)




Últimas notícias


Mais Vistos