12 de junho de 2018

Greve dos servidores tem baixa adesão e serviços da Prefeitura mantém funcionamento

Divulgação

Hoje pela manhã os servidores se concentraram em frente à Prefeitura

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa informa que estão mantidos em 95% os atendimentos e serviços à população. Mesmo diante da paralisação de alguns servidores, nenhum serviço foi prejudicado.

A Praça de Atendimento, Feira Verde, Mercado da Família, Agência do Trabalhador, Hospital Municipal, Hospital da Criança, UPA Santa Paula, AMTT, Prolar, Cultura e serviços da Assistência Social prestam atendimento e serviços normalmente.

Conforme a adesão, funcionam parcialmente os serviços:

– 80% das Equipes de Saúde da Família estão prestante atendimento médico;

– Na educação, 70% das escolas e Cmeis estão com atendimento normal, 30% parcial;

– O Restaurante Popular prestará atendimento com 50% da capacidade;

A Prefeitura de Ponta Grossa reitera seu compromisso e valorização com o funcionalismo público, tendo proposto como reajuste salarial a reposição da inflação do período, para o mês de setembro, quando terá condições orçamentárias e financeiras de cumprir a proposta.

GREVE –Após percorrer as principais ruas do centro da cidade ontem pela manhã, os grevistas se reuniram na Câmara Municipal e pediram o apoio dos vereadores durante a sessão. Eles não concordam com a data proposta pelo Executivo para o reajuste, defendendo o remanejamento de despesas para que o aumento possa ser repassado imediatamente.

Hoje pela manhã os servidores se concentraram em frente à Prefeitura.


Prefeitura notifica Sindserv por barulho excessivo próximo ao Hospital Municipal

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa está notificando o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindserv) e o comando da greve com base na lei 4.712/92, o Código de Posturas de Município, que busca proteger o silêncio nas proximidades dos ambientes hospitalares. Com a deflagração da greve ontem pela manhã, por volta das 6h30, em concentração em frente ao Hospital Municipal Amadeu Puppi, os manifestantes, liderados pelo Sindserv e pelo comando de greve, fizeram uso de caminhão de som, buzinas e outros aparatos, ocasionando barulho excessivo.

Embora tenham garantido o direito de greve pela Constituição, o Município reforça que os meios adotados não podem violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de terceiros. O barulho da manifestação acarretou incômodo aos pacientes e atrapalhou os atendimentos no local, conforme relato da direção. Além do som alto, a manifestação também causou transtorno na passagem de veículos e ambulâncias no local.

O Sindserv está sendo notificado para que não realize novos atos ou manifestações durante a greve nas proximidades de hospitais do município, respeitando a distância mínima de 200 metros, como forma de resguardar o silêncio e a tranquilidade nas proximidades dos hospitais. (Com assessoria)

Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

19 de janeiro de 2019

Aliel entrega ambulância para a Saúde de Palmeira

Arquivo

19 de janeiro de 2019

Tribunal de Contas do Estado comprova falhas no transporte coletivo de PG

Divulgação

19 de janeiro de 2019

Secretaria de Estado de Saúde paga prestadores da área de hemodiálise

Divulgação

19 de janeiro de 2019

Estado prepara lei para formalizar reforma administrativa

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

25 de maio de 2017

Justiça nega sigilo de dívida de R$ 4,4 milhões do MM MercadoMóveis ao Município

Arquivo

28 de agosto de 2018

Vaza áudio de secretário de Cida falando sobre dinheiro em troca de apoio

Arquivo

1 de agosto de 2017

Dívida de R$ 4,4 mi do MercadoMóveis daria para construir 250 casas, 4 Unidades de Saúde ou 3 escolas