15 de julho de 2019

Governo assegura reajuste e põe fim à greve no serviço público

Divulgação

Na manhã do último sábado, 13, reunidos em assembleia em frente ao Palácio Iguaçu em Curitiba, os servidores decidiram suspender a grave após a nova proposta do Governo do Estado. O governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou na última sexta-feira, 12, a implantação da data-base, com a primeira parcela de 2% liberada em janeiro de 2020. No total, o Estado vai pagar 5,08% de reposição.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) anunciou na última sexta-feira, 12, o fim do movimento grevista realizado por parte dos servidores estaduais. Ele confirmou a implantação da data-base, com a primeira parcela de 2% liberada em janeiro de 2020. No total, o Estado vai pagar 5,08% de reposição.

Com a formalização da proposta deve haver a reposição de aulas na rede estadual, principal serviço público prejudicado pela ação de movimentos grevistas. O trabalho deverá ser realizado durante o período de recesso escolar. Caso não haja reposição de horas e aulas, haverá aplicação de faltas, com desconto em folha dos dias parados.

Ratinho Jr. reafirmou que o Estado está fazendo um grande esforço para honrar o compromisso de implantação da data-base. O governador lembra que houve queda do PIB no primeiro trimestre, além de redução de receitas de impostos e de transferências federais neste ano. Somente o IPVA contabiliza inadimplência de R$ 700 milhões.

Segundo o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri (PSD), a proposta prevê ainda reajustes no auxílio-alimentação e no vale-transporte a partir de abril de 2019, e no salário mínimo regional a partir de fevereiro de 2019; a abertura ou reativação de oito polos no interior para realização de perícias médicas; a retirada de tramitação na Assembleia do projeto da Lei de Eficiência na Gestão do Estado (LEGE); a garantia de pagamento das promoções e progressões nas carreiras do funcionalismo, incluindo anuênios e quinquênios; que não haja mudança na atual forma de eleição dos diretores das escolas estaduais; e a formação de uma comissão para debater o Processo Seletivo Simplificado do Paraná (PSS).

“Sempre afirmei que, na base do diálogo, chegaríamos a bom termo para ambos os lados. Negociamos com os servidores à exaustão dentro do princípio de manter responsabilidade com as contas do Estado e, ao mesmo tempo, valorizar o funcionalismo”, afirmou Bakri.

CONCURSOS – A proposta apresentada pelo governador confirma a realização de concursos públicos para seleção de 2.560 policiais militares, 400 policiais civis (50 delegados, 50 papiloscopistas e investigadores), 96 peritos e médicos para a Polícia Científica, 1.269 agentes de cadeia, 400 profissionais da Saúde, 80 para a Agência de Defesa Agropecuária e 988 professores.

Também foram previstos concursos para contratação de servidores para o Quadro Próprio do Poder Executivo (QPPE), que inclui profissionais para a Administração Direta, para o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) e para o Teatro Guaíra.

Na manhã do último sábado, 13, reunidos em assembleia em frente ao Palácio Iguaçu em Curitiba, os servidores decidiram suspender a grave após a nova proposta do Governo do Estado. (Com AEN e assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

20 de setembro de 2019

Banco de Projetos do Paraná avalia primeiras propostas

Divulgação

19 de setembro de 2019

Moacyr assina ordem de serviço para nova rodoviária

Divulgação

19 de setembro de 2019

Mostra ‘Eliseu Lacerda’ conta história através do cinema

Arquivo

19 de setembro de 2019

Temporais danificam 3.222 casas e afetam 12.227 pessoas

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra