4 de abril de 2017

Em reunião com a ACIPG, Rangel pede otimismo com o desenvolvimento de PG

Divulgação

Prefeito pediu apoio, otimismo e respondeu a questionamentos dos diretores

A reunião da diretoria da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), realizada na última segunda-feira, 03, na residência do presidente Douglas Taques Fonseca, contou com a presença do prefeito Marcelo Rangel (PPS). No encontro, os diretores tiveram a oportunidade de ouvir o gestor e fazer questionamentos referentes a suas pastas. Assuntos polêmicos foram discutidos e a ACIPG ofereceu apoio à Prefeitura em medidas de austeridade.

Rangel falou sobre o atual pessimismo na política brasileira e que cabe as lideranças combaterem este pensamento, auxiliando o poder público, visado o desenvolvimento do Município. “Não estou pedindo para que concordem com 100% de minhas atitudes, mas peço que pensemos juntos Ponta Grossa. Quero estar aqui, sempre que preciso, para ouvir sugestões, críticas e explicar meus posicionamentos em relação a assuntos polêmicos”, disse o prefeito.

Ele discorreu ainda sobre a crise financeira no país, a redução no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), dívidas históricas de Ponta Grossa, bem como o parcelamento com a Copel. “Devido a diversos fatores, inclusive a redução do FPM, muitos municípios não conseguiram fazer o pagamento de energia elétrica, porque optaram por outros custos mais importantes, como o pagamento em dia do salário dos servidores, a manutenção de escolas, a atenção com a Saúde, entre outras prioridades que não padeceram, mesmo com o período severo de recessão no Brasil”, salientou o prefeito, comentando que a situação da Prefeitura ainda está melhor do que há quatro anos.

TRANSPORTE COLETIVO – Outro tema polêmico discutido foi o reajuste da tarifa do transporte coletivo, ocorrido em fevereiro deste ano e motivo manifestações contrárias da ACIPG, como o outdoor eletrônico e a capa da Revista ACIPG em Ação. Fonseca apontou como absurdo o fato da Prefeitura aceitar a planilha de custos encaminhada pela Viação Campos Gerais (VCG), pois segundo ele, apresenta diversas fragilidades que incidem diretamente no valor da passagem de ônibus. “Da forma em que está a lei, a empresa concessionária ganha em cima do custo. Quanto mais o custo aumentar, maior é a porcentagem de lucro. Para que eles vão se preocupar em fazer economia?”, questiona Fonseca.

O prefeito disse que contou com o consentimento de especialistas do Conselho Municipal de Transportes (CMT) para tomar sua decisão, entre eles o representante da ACIPG, bem como, não quis arriscar que a população fosse penalizada com uma greve como a que aconteceu em 2013. “Foram 14 conselheiros e foi unanime. Não posso colocar em risco o desenvolvimento, o progresso da cidade, com uma greve como aconteceu no meu primeiro ano de mandato, com 28 dias e que quebrou o comércio. Uma greve estava eminente neste ano, como aconteceu em Curtiiba”, comenta Rangel.

PLANO DIRETOR – O diretor de Urbanismo, Jarbas Goes, solicitou ao prefeito a estruturação do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Ponta Grossa (Iplan). Segundo ele, a função do Iplan é ordenar o crescimento do Município, através do Plano Diretor e a Lei de Impacto de Vizinhança. “Hoje o Iplan tem dois servidores. Em virtude disso, não projeta, apenas estuda impacto de vizinhança”, comentou Goes.

Rangel concordou com Goes e confirmou que o Iplan conta apenas com dois servidores comissionados. “Com a terceirização, talvez isso possa ser melhor redimensionado, sendo uma solução possível a contratação de uma empresa que terceirize arquitetos”.

REGIME JURÍDICO – Os diretores da ACIPG questionaram o prefeito sobre o atual regime jurídico dos servidores municipais que apresenta características de estatutário e Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Rangel comentou que Ponta Grossa é um dos poucos municípios do país que conta com este modelo. Ele relata que o Sindicato fez a solicitação de reajuste salarial de 10% para este ano. No entanto, Rangel alega que, por uma questão matemática, a Prefeitura não tem condições de discutir o assunto, pois caso conceda, o município não conseguiria pagar o salário de dezembro e 13º. “Porém, caso mudássemos para o regime estatutário, Ponta Grossa seria um dos únicos municípios do Brasil a ter condições de dar aumento real para os servidores”, disse o prefeito.

Rangel salientou ainda, que as demanda judiciais, oriundas de ações trabalhistas, chegam a R$ 80 milhões, sem contar que o custo mensal com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é de 8%, algo em torno de R$ 3,5 milhões. “Estamos pensando no futuro. Talvez não tenhamos vantagens a curto prazo, mas a longo prazo todo o recurso arrecadado pode estar comprometido pelo atual sistema e pelas ações trabalhistas”, disse Rangel, garantindo que é necessário enfrentar esta situação.

O presidente da ACIPG, em nome de todos os diretores presentes, disse que o prefeito pode contar com a Associação no que for necessário para mudança do regime. “Estamos juntos, pois esta é uma medida de grande importância para o município de Ponta Grossa”, falou Fonseca.

HOMENAGEM – O prefeito aproveitou o momento e anunciou que o Centro Cirúrgico Hospital da Criança, que foi ampliado e será reinaugurado, receberá o nome do médico Doutor Cesar Milléo, esposo falecido da diretora de Responsabilidade Social, Indianara Milléo. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

4 de março de 2021

Fiocruz confirma circulação de variantes do coronavírus no Paraná

Divulgação

4 de março de 2021

Suspensão do processo de concessão atende interesses dos paranaenses, diz Romanelli

Divulgação

4 de março de 2021

Feirão da Qualificação, Emprego e Renda acontece neste mês

Divulgação

4 de março de 2021

Mais de 3 mil estabelecimentos comerciais foram fiscalizados desde sábado no Paraná

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

28 de setembro de 2020

Ponta Grossa tem 456 candidatos a vereador em 2020; Confira a lista