6 de junho de 2019

Comissão pede retirada dos professores da reforma da Previdência

Divulgação

Membros da Comissão de Educação da Câmara entregaram documento ao relator da proposta. A moção foi aprovada por unanimidade na Comissão e conta com o apoio do deputado Aliel Machado.

Membros da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados entregaram ontem, 05, ao relator da Proposta de reforma da Previdência (PEC 6/19), deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), uma moção de apoio à manutenção da aposentadoria especial para os professores. A moção foi aprovada por unanimidade na Comissão e tem como propositor o deputado Danilo Cabral (PSB-PE), apoiado pelo deputado Aliel Machado (PSB).

“Essa é uma contribuição da Comissão de Educação. Eu sou coautor dessa proposta e nós sabemos que professor não é privilegiado. Nós também temos outras frentes pra tentar corrigir essa proposta, que é extremamente agressiva contra a população que ganha menos e vamos continuar nosso trabalho”, afirmou Aliel.

Cerca de quinze parlamentares se reuniram com o relator para entregar a moção. O autor da proposta reforçou a importância da retirada dos professores da PEC da Previdência. “São profissionais que exercem a atividade se submetendo ao estresse, à falta de infraestrutura das escolas e até à violência. Precisamos considerar as peculiaridades da atividade docente e as condições de trabalho na área educacional”, disse Cabral.

O relator da proposta afirmou aos parlamentares que o texto trará mudanças aos professores, e que a Comissão de Educação tem papel fundamental nesse processo. “Nós vamos mexer no texto com relação aos professores. Ainda não está fechado. Não sei se vai ser o quanto eu gostaria ou quanto os senhores esperam, mas certamente vamos mexer no texto”, revelou Moreira aos parlamentares.

Para Aliel, o debate sob o aspecto econômico na reforma não pode superar as especificidades de cada categoria. “Já existe essa diferenciação dos demais trabalhadores pela atividade que eles exercem na sociedade. O governo quer inclusive igualar a idade mínima para aposentadoria entre professores e professoras. E 80% do magistério é composto por mulheres, que cumprem dupla ou até tripla jornada. Isso certamente é injusto e também acaba desestimulando o ingresso na carreira. Por isso a nossa luta em defesa desses profissionais”, afirmou Aliel. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

23 de setembro de 2019

Intenção de consumo dá novo salto no Paraná

Arquivo

23 de setembro de 2019

Oposição rachada favorece Rangel emplacar sucessor em 2020

Divulgação

22 de setembro de 2019

Sanepar forma multiplicadores em saneamento em Tibagi

Arquivo

22 de setembro de 2019

Pietro quer mais transparência no atendimento aos pacientes com câncer

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra