18 de julho de 2019

Com mil imóveis desocupados, Prefeitura de Ponta Grossa gasta R$ 200 mil por mês em locações

Arquivo

Gestão disse que vai encaminhar projeto de lei para que prédios deteriorados sejam vendidos. Prédio onde funciona a Secretaria Municipal de Meio Ambiente foi locado em julho de 2018 e possui uma dívida de R$ 69 mil em IPTU.

Por Edilene Santos e Carla Yarin, RPC Ponta Grossa e G1 PR

A Prefeitura de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, gasta R$ 200 mil por mês com o aluguel de imóveis particulares. Em contrapartida, cerca de mil propriedades do município estão desocupadas. As informações são do Portal da Transparência e da Secretaria de Administração e Recursos Humanos da cidade.

A Prefeitura de Ponta Grossa é proprietária de aproximadamente 3 mil imóveis no Município, que vão desde terrenos e prédios, até praças e residências. Por outro lado, a administração municipal mantém o aluguel de 30 propriedades privadas.

Entre os imóveis locados pela Prefeitura estão o do Centro de Zoonoses Monteiro Lobato, com o custo de R$ 12,2 mil por mês, e o prédio onde funciona a Agência do Trabalhador, custando R$ 11 mil por mês.

O secretário de Administração e Recursos Humanos, Ricardo Linhares, disse que a Prefeitura possui uma série de critérios para definir qual prédio deve ser alugado, seguindo a necessidade de cada secretaria.

“Por exemplo, a Secretaria do Meio Ambiente precisava de um imóvel que tivesse capacidade de receber de 50 a 55 servidores. Além disso, tem a acessibilidade à população, que fosse mais próximo ao Centro”, explica.

O prédio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente fica na Rua Sete de Setembro, no Centro de Ponta Grossa, e tem o custo mensal de R$ 7 mil. O contrato foi assinado com a proprietária do local em julho de 2018.

Em abril deste ano, a Prefeitura identificou uma dívida de R$ 69 mil em imposto na propriedade. De acordo com o secretário de Administração e Recursos Humanos, desde então a prefeitura deixou de pagar a locação.

“Na época de assinatura do aluguel [o imóvel] tinha uma certidão positiva com efeito negativo, o que também capacita para fazer a locação. Após isso ele se tornou inadimplente. Quando detectamos isso, paramos de pagar o aluguel a essa pessoa e começamos a abater na dívida”, explica o secretário.

IMÓVEIS DESOCUPADOS Dos mil imóveis que não estão sendo utilizados, a maioria são terrenos que devem destinados para a construção de postos de saúde e escolas, segundo a Prefeitura.

A gestão municipal informou que muitos prédios de propriedade do Município estão deteriorados. De acordo com a Prefeitura, um projeto de lei será enviado à Câmara Municipal solicitando a venda dos imóveis. ASSISTA.


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

20 de setembro de 2019

Banco de Projetos do Paraná avalia primeiras propostas

Divulgação

19 de setembro de 2019

Moacyr assina ordem de serviço para nova rodoviária

Divulgação

19 de setembro de 2019

Mostra ‘Eliseu Lacerda’ conta história através do cinema

Arquivo

19 de setembro de 2019

Temporais danificam 3.222 casas e afetam 12.227 pessoas

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra