10 de dezembro de 2019

Com a maior taxa do País, produção industrial do Paraná cresce 6,9%

Arquivo

A Companhia, que possui unidade em Ponta Grossa, prorrogará a suspensão da produção de caminhões e motores em suas fábricas em todo o mundo.

A produção industrial do Paraná é a maior do Brasil em 2019. A taxa de crescimento foi de 6,9% até outubro, em comparação com mesmo período do ano passado, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) hoje, 10. É o melhor resultado dos últimos oito anos. No País, o desempenho foi negativo, de -1,1%.

Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), o índice é um sinal da confiança dos empresários e da capacidade de atração de investimentos. “É um número que nos deixa muito motivados e mostra a força econômica do Paraná. O índice de 6,9% de janeiro a outubro representa o maior crescimento disparado do País”, afirmou.

A pesquisa do IBGE também aponta evolução expressiva da indústria paranaense no comparativo entre outubro de 2018 e o mesmo mês deste ano. A variação foi de 9,4%. No acumulado de doze meses, a produção fabril do Estado aumentou 5,9%, enquanto na comparação de outubro sobre setembro o parque industrial não oscilou.

Ratinho Jr. destacou que a determinação do governo é buscar investimentos que fortaleçam a produção paranaense, que gerem mais oportunidades de emprego e renda. Ele citou que quase R$ 18 bilhões foram atraídos para o Estado em 2019 e disse que a tendência é de aumento. “Para manter esse ritmo econômico há um grande volume de novas indústrias chegando ao Paraná”, acrescentou.

Na última sexta-feira, 06, por exemplo, as cooperativas anunciaram R$ 3,5 bilhões em investimentos, lembrou o governador. “Há um esforço em abrir o Estado para que as empresas venham para cá e gerem emprego, além da reconhecida força do paranaense, da nossa mão de obra, que ajuda muito esse processo”, complementou.

MAIOR DO PAÍS – O crescimento industrial paranaense em 2019 foi impulsionado pela produção de veículos automotores, reboques e carrocerias (27,7%) e alimentos (8,9%) – maiores índices setoriais do País. É o melhor resultado desde 2010 no setor automotivo e o melhor da série histórica (desde 2002) na indústria alimentícia. Além disso, houve alta nos segmentos de máquinas e equipamentos (13,9%), produtos de metal (12,3%) e da indústria da transformação (6,9%).

No comparativo com outubro do ano passado, houve crescimento de 39,8% na fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias e 19,5% na fabricação de alimentos. Os resultados também são os mais significativos desde 2007 e 2006, respectivamente.

RAZÕES – Francisco Castro, pesquisador do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), aponta como motivos do crescimento a qualidade da produção local, com recepção no mercado global, a abertura de novos mercados para alimentos e a diversificação da indústria paranaense.

“O setor de alimentos vem se recuperando da quebra das safras e há crescimento no setor de carnes, impulsionado pelo potencial de venda para países asiáticos com novas medidas sanitárias”, pontuou. “Além do crescimento do setor de papel e celulose, o que mostra que o Paraná tem capacidade de diversificação. Esses fatores levam a cenário ainda mais otimista para os próximos meses.”

ANO – Entre janeiro e outubro de 2019, frente a igual período do ano anterior, Paraná (6,9%) e Rio Grande do Sul (3,7%) apontaram os avanços mais elevados. Amazonas (2,9%), Goiás (2,8%), Santa Catarina (2,6%), Ceará (1,2%), Rio de Janeiro (0,9%) e São Paulo (0,4%) também registraram taxas positivas no período.

Houve queda, no entanto, em sete dos quinze locais pesquisados, o que ajudou a puxar o índice nacional para baixo (-1,1%). Registraram números negativos Espírito Santo (-14%), Minas Gerais (-4,6%), Região Nordeste (-4%), Mato Grosso (-3,6%), Bahia (-2,8%), Pernambuco (-2,6%) e Pará (-1,3%).

DOZE MESES – Entre novembro de 2018 e outubro de 2019 (acumulado dos últimos doze meses), a indústria paranaense cresceu 5,9% e apresentou alta frente ao dado encerrado em setembro, de 5,2%. Apenas cinco locais apontaram maior dinamismo, segundo o IBGE: Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso, além do Paraná. A indústria nacional recuou -1,3% no período.

OUTUBRO-OUTUBRO – Na comparação com outubro de 2018, o setor industrial nacional mostrou crescimento de 1%, com sete locais apontando resultados positivos. O Paraná cresceu 9,4%, segundo melhor resultado do País, atrás apenas de Goiás (11,2%). Também cresceram Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Pernambuco.

SETEMBRO-OUTUBRO – Em outubro de 2019, na série com ajuste sazonal, sete dos quinze locais pesquisados mostraram taxas positivas, acompanhando o crescimento (0,8%) da indústria nacional – o Paraná não oscilou. Os avanços mais acentuados foram os de Goiás e do Amazonas.


Estado projeta fechar ano com R$ 20 bilhões anunciados

O Governo do Estado já soma R$ 17,96 bilhões em investimentos privados anunciados, em negócios que deverão gerar 14 mil novos empregos, mas a expectativa é encerrar 2019 com anúncios na casa de R$ 20 bilhões. O resultado é fruto do trabalho realizado pela Invest Paraná, agência estadual responsável pela prospecção de novos negócios e atração de empresas.

O balanço é resultado dos anúncios de larga escala da Klabin, Grupo Madero, cooperativas, e indústrias alimentícias e automobilísticas, e das rodadas nacionais e internacionais de negociações com investidores (Paraná Day).

OTIMISMO – O ano de 2020 deve ser ainda mais promissor para a indústria, aponta pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). Segundo a consulta anual da entidade sobre práticas e expectativas, 80% dos industriais do Estado estão otimistas – 70% preveem aumento das vendas, 57% esperam melhorias na conjuntura econômica e 49% apostam em abertura de novos mercados.

A mostra coletada representa 50,8 mil estabelecimentos industriais de todos os portes (micro, pequena, média e grande) e de 37 segmentos, que geram 765 mil empregos no Estado. Refletindo a expectativa positiva para 2020, 82% dos empresários pretendem realizar investimentos.

Ao serem questionados sobre as estratégias mais relevantes para suas empresas, 52% dos entrevistados pela pesquisa apontaram que o desenvolvimento de novos negócios será a prioridade em 2020. Outros 42% pretendem aumentar o foco no cliente, e 39% têm planos de incorporar novos produtos ao seu portfólio. (Com AEN)

Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

11 de agosto de 2020

Requião Filho questiona gastos com Covid-19

Arquivo

11 de agosto de 2020

Plauto reúne pré-candidatos a vereador e dá ‘ordem unida’: Pauliki e Mainardes

Arquivo

11 de agosto de 2020

ICMS tem leve recuperação, mas Estado acumula perdas de R$ 1,5 bi

Arquivo

CASTRO

11 de agosto de 2020

Barreiras sanitárias fizeram 229 mil abordagens

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário