10 de dezembro de 2019

Carnes apresentam aumento de 20,69% em PG

Arquivo

A cesta com os 33 produtos que a compõe passou a custar R$ 515,78 na primeira semana do mês de dezembro. Uma família com renda mensal de apenas um salário mínimo, no valor de R$998,00, gastaria cerca de 51,62% de sua renda para adquirir a cesta básica.

O custo médio da Cesta Básica de Ponta Grossa apresentou um aumento de 2,94% no mês de novembro. A pesquisa, realizada pelo Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas (NEREPP) do Departamento de Economia da UEPG, caracteriza o consumo básico de alimentação, higiene e limpeza de famílias com 3 membros em média, renda de 1 a 5 salários mínimos, com residência no Município.

A cesta com os 33 produtos que a compõe passou a custar R$ 515,78 na primeira semana do mês de dezembro, e desses, 19 subiram, 13 caíram e um permaneceu constante. O item que mais aumentou foi o tomate com 36,82% e o de maior queda foi a cebola com 40,25%. Dos cinco grupos que compõem a Cesta Básica, o que apresentou maior aumento foi carne, com 20,69%.

Uma família com renda mensal de apenas um salário mínimo, no valor de R$998,00, gastaria cerca de 51,62% de sua renda para adquirir a mesma cesta básica apresentada. Relacionando-se famílias de dois, três, quatro e cinco salários mínimos, observa-se que despenderiam, respectivamente, 25,84%; 17,23%; 12,92%; e 10,34% de sua renda.

A equipe de pesquisadores observou que os preços promocionais nem sempre demonstram a realidade, pois alguns produtos foram encontrados mais baratos em outros estabelecimentos do que naqueles onde se apresentavam em promoção.

PRINCIPAIS VARIAÇÕES:

Grupo Alimentação Geral: teve um aumento de 1,07%, dentro deste, a bolacha foi o produto responsável pela maior variação positiva de 10,50% e, o macarrão o item de maior variação negativa com 8,72%.

Grupo Hortifrutigranjeiros: com uma queda de 8,41%, o produto de maior variação positiva foi o tomate com 36,82%, e a cebola com 40,25% de maior variação negativa.

Grupo Carne: teve um aumento de 20,69% e dentro deste, a carne bovina apresentou a maior variação positiva de 22,88%, enquanto o frango veio a apresentar a menor variação positiva de 15,36%.

Grupo Higiene: com uma queda de 1,68%, o produto de maior variação positiva foi o papel higiênico com 2,12% e o produto de maior variação negativa foi o sabonete com queda de 10,88%.

Grupo Limpeza: teve uma queda de 1,70% e dentro deste, o produto de maior variação positiva foi o sabão em pó com 6,17% e o produto de maior variação negativa foi o desinfetante com 7,55%. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

7 de agosto de 2020

Setor do turismo no Paraná debate retorno das atividades

Divulgação

7 de agosto de 2020

Grandes empresas vão apoiar 21 mil pequenos comércios do Paraná

Divulgação

CASTRO

7 de agosto de 2020

Iniciam obras de pavimentação em ruas do Centro

Divulgação

7 de agosto de 2020

Ricardo Zampieri cobra aplicação de lei de transparência na Saúde

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário