22 de fevereiro de 2018

Atenção ao idoso, artigo de Marcello Richa

Divulgação

“A prática de atividades físicas e recreativas na terceira idade são verdadeiros transformadores de vida, capazes de promover mudanças de hábitos mais saudáveis, com benefícios psicológicos e sociais”

Em 2011, durante minha primeira gestão na Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) de Curitiba, ajudamos a sediar o 11º Seminário Internacional sobre Atividades Físicas para a 3ª Idade (SIAFTI). Totalmente estruturado para estimular o diálogo, o evento foi uma verdadeira aula de boas práticas, planejamento de ações e debate sobre os aspectos fisiológicos do envelhecimento e os benefícios de uma vida ativa e saudável.

Conhecer experiências de sucesso implantadas em outros municípios, estados e até mesmo países sem dúvidas contribuíram muito para que construíssemos um planejamento diferenciado para este segmento em Curitiba. Em uma época que a pirâmide etária do Brasil começa a demonstrar uma mudança, com previsão de triplicar o número de idosos até 2050, promover ações sistemáticas e descentralizadas com foco na terceira idade é um caminho natural e que sem dúvidas trará benefícios econômicos e sociais para os municípios.

De acordo com o relatório da Organização Mundial da Saúde, 74% das mortes no país são causadas por doenças não transmissíveis, sendo que 60% são relacionadas a doenças cardiovasculares, respiratórias, cânceres e diabetes, doenças relacionadas ao sedentarismo e sobrepeso. Conforme envelhecemos, a possibilidade de uma vida sedentária cobrar seu preço é alta e precisamos oferecer opções para mudar essa realidade.

Neste sentido, costumo dizer que a pasta do Esporte e Lazer é a que verdadeiramente trabalha a prevenção em um município. Saúde não é apenas combater enfermidades, mas oferecer condições e estímulo para prática de atividades físicas, alimentação saudável e socialização que irão resultar na independência funcional de cada cidadão.

Para isso é importante estar próximo dos usuários dos serviços, e nesse sentido o público idoso enriquece muito o diálogo. Além de serem as pessoas que possuem maior frequência nas atividades, sempre contam boas histórias, mostram efetivamente as melhoras físicas e sociais que conquistaram após começarem a praticar exercícios, bem como apontam sugestões e investimentos que podem ser feitos nas atividades e programas.

Esse diálogo foi um dos principais fatores que contribuíram para que ampliássemos, durante o ano de 2017, o número de vagas e participações nas atividades para a terceira idade em 29% em Curitiba. Dessas atividades surgiram grupos de dança, Clubes de Mães, iniciativas de arrecadação de doações, festas comunitárias, entre outros. Ou seja, conforme aumentou a socialização entre os integrantes, as atividades extrapolaram os limites das unidades e passaram a contribuir diretamente para as comunidades, fortalecendo a sensação de pertencimento e independência de cada um.

A prática de atividades físicas e recreativas na terceira idade são verdadeiros transformadores de vida, capazes de promover mudanças de hábitos mais saudáveis, com benefícios psicológicos e sociais que permitirão melhores condições para que cada um possa usufruir na sua totalidade essa fase. Porém é importante destacar que a atenção ao idoso vai além de apenas disponibilizar serviços, mas ouvir o que desejam e, em conjunto, construir essas políticas públicas.

Marcello Richa é presidente do Instituto Teotônio Vilela do Paraná (ITV-PR) e secretário municipal de Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

21 de março de 2019

Sanepar apresenta projetos de pesquisa no Congresso Smart City

André Jonsson - Blog do Johnny

21 de março de 2019

Ferreira acusa servidor ligado a Alessandro pelo desvio de combustível da Prefeitura de PG

Divulgação

21 de março de 2019

Prefeitura de PG licita R$ 4 milhões para recuperação de vias

Divulgação

21 de março de 2019

Ratinho Junior anuncia isenção de impostos para carros elétricos no Paraná

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

28 de agosto de 2018

Vaza áudio de secretário de Cida falando sobre dinheiro em troca de apoio

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário