Assessor do MCTIC afirma que novo edital para Cidades Inteligentes deve ser lançado até novembro

13/09/18

Divulgação

6º Congresso Paranaense de Cidades Digitais reúne gestores públicos nos Campos Gerais.

O assessor técnico da Secretaria de Telecomunicações do Departamento de Inclusão Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Luis Ramos, informou que a modernização dos municípios poderá ser acelerada com um nova etapa do projeto federal para cidades digitais. A declaração foi dada durante o 6º Congresso Paranaense de Cidades Digitais, promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Prefeitura de Ponta Grossa. O evento, que reúne gestores públicos de todo o Estado para tratar de inovações e ferramentas que aprimorarem os serviços prestados aos cidadãos, acontece até amanhã, 14.

Segundo o assessor do MCTIC, um edital deve ser lançado até novembro e virá para resolver um dos principais gargalos das prefeituras quando o assunto é captação de recursos: a elaboração dos projetos. Ramos explica que o apoio técnico envolverá a montagem do projeto, licitação, tomada de preço e acompanhamento da implantação. “Agora tem essa possibilidade de trabalhar com financiamentos via bancos de desenvolvimento, como o BNDES, financiamentos internacionais ou com recursos próprios, caso o município tenha. Essa nova etapa é mais um dos caminhos, entendendo isso como uma infraestrutura de base bastante eficiente para que o município possa em seguida não só colocar os aplicativos de governo eletrônico, que é um passo muito importante, mas também colocar serviços de cidade inteligente como sensores, fazendo uso dessa camada de comunicação”, disse Ramos.

Palmeira é um dos municípios que vem investindo em tecnologia para melhorar seus processos. Com recursos na ordem de R$5 milhões, oriundos do Programa de Modernização da Administração Tributária (PMAT), o prefeito Edir Havrechaki conta que diversas ações estão sendo executadas na cidade de 33 mil habitantes, melhorando também a arrecadação municipal. “Foi a primeira ação do PMAT. O georreferenciamento identificou aproximadamente oito mil imóveis e desses quase que 55% deles estavam em discrepância com o nosso cadastro. Em Palmeira fazia mais de 15 anos que não havia uma revisão da nossa planta”, contou o prefeito. “Os gestores têm que acompanhar essa modernização. As ferramentas estão aí para nos apropriarmos delas e fazer com que os serviços sejam mais ágeis”, completou

Havrechaki e os prefeitos de Araucária, Cascavel, Francisco Beltrão, Guaratuba, Maringá, Moreira Sales, Palmeira, Paranavaí, Piraquara, Ponta Grossa, Santana do Itararé, Quatro Barras e Rancho Alegre D’Oeste foram homenageados na manhã de hoje,13, com o título de Prefeito Inovador 2018.

O presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) e prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wozniack, frisa que as cidades precisam se preparar tecnologicamente para o crescimento urbano. “Além de aumentar receitas e economizar, é preciso usar a tecnologia para agilizar o serviço prestado”, aponta o prefeito.

PONTA GROSSA – Com diversas inovações, o município-sede desta sexta edição do congresso estadual de cidades digitais trouxe vários exemplos de como a tecnologia pode melhorar a gestão e os serviços prestados em áreas como Saúde e Educação. O prefeito Marcelo Rangel (PSDB) destaca ferramentas como o Estar Digital, que veio para facilitar a identificação das vagas disponíveis no centro da cidade, e central 156, criada para receber as demandas da população. “Hoje nós sabemos exatamente quais são os maiores problemas em cada bairro”, afirma

Rangel adiantou que até o final do ano devem ser implantados totens de autoatendimento nos terminais de transporte público, com a ideia de levar serviços e melhorar a comunicação com os municípes. “Possibilitando pagamentos, consultas e o envio de sugestões”, acrescentou.

O 6º Congresso Paranaense de Cidades Digitais tem o patrocínio master da GOVBR, Prínter do Brasil, Thema Informática e CTMGEO; ouro da 1DOC, Exati Tecnologia, Smart Matrix, Betha Sistemas, Input Service Informática e SMART GIS/Estar Digital e MV – Gestão de Saúde; prata da PlayTable e Instituto das Cidades Inteligentes; e bronze do FALACIDADÃO e da PLSS – Pellissari Soluções. O evento conta ainda com o apoio institucional da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e das Associações de Municípios Amusep, Amunpar, Amepar, Amunorpi , Amunop, Amuvi, Amerios, Comcam, Amsop, Amcespar, Cantuquiriguaçu, AMCG e Assomec, além da Associação Brasileira de Empresas de Soluções de Telecomunicações e Informática (Abeprest), Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – regional Paraná (Assespro-PR) e Hotel Planalto. (Com assessoria)




Últimas notícias


Mais Vistos