10 de dezembro de 2019

Assembleia aprova projeto de Hussein Bakri que regulamenta plantio perto da rede elétrica

Divulgação

Proposta, que ainda passará por mais uma votação em plenário, vai beneficiar diretamente o setor de erva-mate do Sul do Paraná.

Por unanimidade, a Assembleia Legislativa do Paraná aprovou ontem, 09, o projeto que regulamenta o plantio de árvores próximas às linhas de energia elétrica. De autoria do deputado Hussein Bakri (PSD), a proposta aprovada em primeira votação estabelece uma faixa de segurança mínima de 15 metros de cada lado da rede e determina que a altura máxima das árvores não poderá ultrapassar 3 metros.

“Este projeto foi redigido em consonância com a Copel e com os órgãos ambientais. Há uma quantidade enorme de quedas de energia por conta de árvores que caem na rede e acabam causando acidentes graves, além de provocar prejuízos financeiros a produtores rurais, empresários e à própria Copel. A medida também vai incentivar outras culturas como o plantio da erva-mate, gerando renda para o meio rural”, defendeu Hussein Bakri, líder do Governo na Assembleia Legislativa.

O projeto prevê que a poda das árvores será de responsabilidade do proprietário da terra, exceto nos casos em que houver risco de segurança a Copel deverá ser acionada. Se as regras não forem cumpridas, a concessionária poderá podar ou mesmo retirar as árvores. O prazo para adequação à nova legislação será de 7 anos.

Segundo a justificativa da proposta, em algumas regiões do Paraná, a vegetação é responsável por mais de 70% das interrupções no sistema de distribuição de energia elétrica – desde 2014, houve 1,1 milhão de casos. Boa parte deles envolve o reflorestamento de eucaliptos, que, durante vendavais e tempestades, entram em contato com os cabos condutores e deixam casas e fábricas sem luz por várias horas. Há ainda a questão da segurança de pessoas e animais, agravada pelo risco de incêndios florestais.

ERVA-MATE – A regulamentação dessas regras propostas por Hussein Bakri é um anseio antigo da cadeia produtiva da erva-mate do Sul do Estado, que emprega cerca de 100 mil famílias. Em julho, por intermédio do parlamentar, o Conselho Gestor da Erva-Mate do Vale do Iguaçu (COGEMATE) esteve no Palácio Iguaçu e apresentou essa e outras demandas do setor ao governador Ratinho Junior (PSD).

Vários dos pontos debatidos naquele encontro já estão sendo avaliados internamente pelos órgãos competentes dentro do Executivo estadual. A pauta inclui a criação do Arranjo Produtivo Local (APL); de uma zona franca; de leis estaduais de manejo sustentável, que amparem o cultivo do produto em meio à mata nativa; desenvolvimento de pesquisas acadêmicas; marketing institucional em cima do produto; fomento ao turismo; e a inclusão do chá ou suco de erva-mate na merenda escolar.

Somadas, essas medidas vão alavancar ainda mais a cadeia da erva-mate no Paraná que, em 2018, já foi o responsável por 87% de toda a produção do país, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

24 de janeiro de 2020

José Sloboda é reconduzido à presidência da AMCG

Arquivo

24 de janeiro de 2020

Plauto conquista recursos para Tibagi

Divulgação

24 de janeiro de 2020

Mudança precipitada do LACEN pode comprometer diagnóstico de doenças graves

Arquivo

24 de janeiro de 2020

Cautelares do TCE-PR suspendem duas licitações da Prefeitura de Telêmaco Borba

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário

Divulgação

9 de setembro de 2019

Secretário Superman é socorrido após levar surra