12 de setembro de 2020

Arroz e óleo lideram alta de preço dos alimentos

Divulgação

Em agosto de 2020 o custo médio da cesta básica aumentou em 4,14% e passou a custar 610,17 reais.

O Índice da Cesta Básica do Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (NEREPP-UEPG) concluiu que em agosto de 2020 o custo médio da cesta básica aumentou em 4,14% e passou a custar 610,17 reais. Dentre os produtos que tiveram o maior reajuste, estão o tomate, cujo preço subiu 48% e o alho, cujo valor caiu 38%. A pesquisa caracteriza o consumo básico de alimentação, higiene e limpeza de famílias residentes em Ponta Grossa com 3 membros em média e renda de 1 a 5 salários mínimos.

A compra dos 33 produtos passou a custar R$ 610,17 na primeira semana do mês de setembro de 2020, e desses, 24 subiram, 8 caíram e 1 permaneceu constante. Dos cinco grupos que compõem a Cesta Básica, a alimentação em geral apresentou maior aumento (8,24%). A grande variação ocorreu devido a dois produtos, o arroz e o óleo, que possuem grande consumo pelas famílias em Ponta Grossa e tiveram elevações de preços consideradas relevantes e atípicas, de 30,33% e 40,77%, respectivamente.

Uma família com renda mensal de apenas um salário mínimo gastaria cerca de 58,39% de sua renda. Famílias que recebem dois, três, quatro e cinco salários mínimos despenderiam, respectivamente, 29,19%; 19,46%; 14,60%; e 11,68% de sua renda. A equipe de pesquisadores do NEREPP apresenta o índice da Cesta Básica de Ponta Grossa conforme os preços das compras realizadas por meio do serviço de delivery dos supermercados, tendo ainda, como base, a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) de 2016.

Acompanhe as variações mensais dos grupos:

– Grupo Alimentação Geral: teve aumento de 8,24%, e dentro deste, o óleo foi o produto responsável pela maior variação positiva de 40,77% e sendo feijão o item de maior variação negativa com 2,13%.

– Grupo Hortifrutigranjeiros: com um aumento de 7,34% e dentro deste grupo, o produto de maior variação positiva foi o tomate com 48,24%, e o alho com 38,27% de maior variação negativa.

– Grupo Carne: teve uma queda de 3,09% e dentro deste, a carne de frango apresentou a maior variação positiva de 4,35%, enquanto a carne bovina veio a apresentar a maior variação negativa de 5,68%.

– Grupo Higiene: com um aumento de 1,03% e dentro deste, o produto de maior variação positiva foi o sabonete com 12,50% e o produto de maior variação negativa foi o desodorante com queda de 2,58%.

– Grupo Limpeza: teve um aumento de 0,01% e dentro deste, o produto de maior variação positiva foi a esponja de aço com 13,84% e o produto de maior variação negativa foi o desinfetante com 5,75%. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Divulgação

24 de setembro de 2020

Professora Elizabeth e Capitão Saulo visitam 2º Grupamento de Bombeiros

Divulgação

24 de setembro de 2020

CCR RodoNorte realiza interdição em acesso ao Contorno Leste de Ponta Grossa

Arquivo

24 de setembro de 2020

Líder do Governo apresenta projeto para sustar promoção indevida a procuradores federais

Divulgação

24 de setembro de 2020

Mabel reforça importância da lei que garante escolha do parto

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário