25 de junho de 2020

Acamaro recebe nova estrutura para agilizar separação de recicláveis

Divulgação

Investimento na compra de esteiras e prensas automatizou o trabalho dos recicladores, que poderão aumentar o rendimento mensal.

A Associação dos Catadores de Material Reciclável de Oficinas (Acamaro), recebeu esta semana nova estrutura de trabalho, que deve agilizar o trabalho de separação de recicláveis. Além de readequação na estrutura do barracão, o local agora conta com duas esteiras elétricas e também prensas automatizadas, que devem aumentar a produtividade dos 30 trabalhadores do local, ampliando o rendimento mensal da Associação. A Acamaro hoje possui o modelo de funcionamento ideal que deve ser replicado nas demais associações de recicladores do Município. Os investimentos foram realizados pela Secretaria de Meio Ambiente, com recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente (FUNDAM), e pela ONG Instituto Ambiente Vivo.

“A estrutura que conseguimos viabilizar para a Acamaro é o modelo que queremos replicar em todas as associações, deixando para trás o processo mais lento e automatizando com esteiras elétricas e novas prensas. Entregar aos trabalhadores um barracão reformado e novos equipamentos têm impacto não só na destinação de resíduos, aumentando a capacidade de separação, como também na renda de cada família que depende desse trabalho, com o ganho em produtividade”, aponta o secretário municipal de Meio Ambiente, Paulo Barros.

A Acamaro hoje conta com 30 trabalhadores, que retiram renda mensal de um salário mínimo, em média, com a separação e destinação correta de aproximadamente 80 toneladas de resíduos. “Os equipamentos novos vão melhorar muito nosso trabalho, agora vamos conseguir separar mais, mas também precisamos que em casa cada um faça a sua parte e separe os recicláveis, em vez de mandar tudo misturado para o aterro”, avalia o presidente da Acamaro, José Altamiro Vieira.

Para a instalação das esteiras elétricas, foram necessárias diversas melhorias no barracão, como revisão da parte elétrica, fundação para as estruturas, nova cobertura, a abertura de um segundo portão para a descarga dos caminhões, iluminação externa e outros investimentos em melhorias. A nova estrutura foi financiada pelos recursos do FUNDAM, cerca de R$ 260 mil, e pela ONG Instituto Ambiente Vivo (IAV), com aproximadamente R$ 55 mil.

“Sabemos que ainda há muito reciclável que não está tendo o destino correto em Ponta Grossa, mas tendo uma associação que consiga realizar a separação e enfardamento mais rápido, entendemos a necessidade de investir nas adequações do barracão”, afirma o representante do IAV, Marcius Nadal Borsato.

PROCESSO – As associações de recicladores de Ponta Grossa fazem a separação e destinação correta dos resíduos recicláveis coletados através do Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), da coleta seletiva porta a porta e também das trocas do Programa Feira Verde. Na nova estrutura da Acamaro, a descarga dos bags com recicláveis acontece próximo às esteiras, sendo separado primeiro os materiais metálicos e de vidro em caçambas específicas. Os demais, entram na esteira para que os recicladores possam separar por tipo de plástico e de papel, para só na sequência serem prensados para a venda. Além do vidro, metal, papel e plástico, também é possível dar destinação correta ao isopor, sendo Ponta Grossa uma das poucas cidades no Paraná que possuem a máquina para esse reaproveitamento. (Com assessoria)


Compartilhe



Últimas notícias

Arquivo

2 de agosto de 2020

Paraná vai colher mais de 41 milhões de toneladas de grãos

Divulgação

2 de agosto de 2020

Boletim agropecuário aborda previsão positiva para o trigo

Divulgação

2 de agosto de 2020

Rangel faz ‘jogo duplo’ e confirma pré-candidatura de Superman

Divulgação

2 de agosto de 2020

Prefeitura apresenta resultados da consulta popular para LDO 2021

Ver mais

Mais Lidas

Arquivo

11 de janeiro de 2017

Prefeitura quebrada, cidade abandonada e Rangel de malas prontas para cruzeiro no Caribe

Arquivo

31 de março de 2020

Ratinho Junior libera igrejas e outras atividades consideradas essenciais no Paraná

14 de agosto de 2017

Suposto patrocínio da UEPG em aniversário do MST gera polêmica nas redes sociais

Arquivo

"RAMBO"

10 de fevereiro de 2017

“Vou fechar todos os buracos da cidade em seis meses ou não me chamo Márcio Ferreira”, impõe meta secretário